A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou hoje a sua decisão em condenar 14 bancos ao pagamento de uma coima de 225 milhões de euros pela prática concertada de troca de informação sensível referente à oferta de produtos de crédito na banca de retalho, designadamente crédito habitação, crédito ao consumo e crédito a empresas”.

No parecer enviado em agosto pelo Banco de Portugal à AdC sobre este processo, o regulador do setor financeiro avisou que, caso fossem determinadas pela AdC coimas que correspondessem ao montante máximo previsto na Lei da Concorrência – 10% do volume de negócios total -, “tal poderia afetar, efetivamente, e de forma material, a estabilidade financeira e a resiliência de um número significativo de instituições num cenário de recuperação do sistema bancário português”.

Num documento de “Perguntas & Respostas” sobre esta caso, a Concorrência precisa que “as coimas concretamente aplicadas representaram uma parcela reduzida dos volumes de negócios totais dos bancos visados”.

A AdC adianta ainda que o montante foi calculado com base na Lei da Concorrência e nas Linhas de Orientação da Autoridade, tendo em conta o volume de negócios dos segmentos de crédito afetados e o período durante o qual cada um dos bancos visados praticou a infração.

O valor das coimas que vai ser pago individualnente por cada banco oscila entre os 80 milhões de euros e os zero euros (porque uma das instituições beneficiu do pedido de clemência por ter sido a primeira a denunciar o caso e a apresnetar provas da prática), não sendo adiantada informação sobre o valor individual que cada um dos bancos visados terá a pagar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.