“A covid-19 está a mostrar desde março efeitos na ação empreendedora em Portugal, com a constituição de novas empresas a oscilar de acordo com a incidência da pandemia”, refere a Informa D&B, precisando que em outubro face a setembro os serviços empresariais e o alojamento e restauração foram os setores que apresentaram os maiores recuos.

Segundo recorda a empresa especializada em informação, durante o confinamento de março e abril o nascimento de empresas registou “uma quebra acentuada”, de respetivamente 70% e 50%, sendo que, “com o alívio progressivo das medidas de contenção e com a reabertura da economia, o nascimento de empresas aumentou progressivamente relativamente aos meses anteriores”.

“Deste modo, em agosto este indicador já apresentou valores acima de 2019, tendência que se manteve na primeira quinzena de setembro”, refere a Informa D&B .

Se estas oscilações mantiverem o mesmo padrão, a Informa D&B considera “provável que o recente agravamento dos casos de covid-19 volte a afetar a criação de novas empresas no futuro próximo”.

No acumulado dos 10 primeiros meses do ano foram criadas 31.415 novas empresas, uma descida de 26% face ao período homólogo em 2019.

Numa análise regional à constituição de novas empresas desde o final do primeiro estado de emergência, o barómetro evidencia “uma divisão totalmente assimétrica, com todos os distritos do litoral a recuarem face ao período homólogo e, ao contrário, todos os distritos do interior a registarem aumentos de novas empresas”.

Nesse período, o nascimento de empresas nos distritos do interior representa 16% do total do país.

A análise da Informa D&B dá ainda conta do encerramento de 12.719 empresas desde janeiro, menos 20% que no período homólogo de 2019, destacando-se o setor dos transportes como “o único a registar um valor mais elevado do que em 2019”.

“Esta subida, ainda que ligeira, deve-se ao aumento dos encerramentos nas empresas de transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros”, é explicado.

No que se refere às insolvências, em outubro foram iniciados 174 novos processos, menos 15% do que no período homólogo de 2019, sendo este recuo atribuído à descida de novas insolvências nas Indústrias (-21 casos face ao período homólogo de 2019 e -36 casos do que no mês de setembro deste ano).

No entanto, desde o início do ano, registaram-se 1.953 novos processos de insolvência, um aumento de 4,7% face a igual período de 2019.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.