“O mercado de exportação da maçã de Alcobaça deverá atingir este ano os 20% da produção e mais de 10% das maçãs são destinadas ao Brasil”, disse hoje à agência Lusa o presidente da Associação dos Produtores de Maçã de Alcobaça (APMA), Jorge Soares, estimando que o mercado brasileiro consuma este ano “cinco a seis milhões de quilos” deste fruto.

O foco no mercado brasileiro decorre do “Projeto de Promoção Maçã de Alcobaça em Mercados Externos”, num investimento de 650 mil euros, comparticipado em 85% pela Comunidade Europeia e que, segundo a APMA, pretende dar palco a “uma nova onda de sabor vinda de Portugal” oriunda da “única maçã do Atlântico”.

O projeto foi desenvolvido nos últimos dois anos e incidiu, no primeiro ano, na produção de conteúdos, e, este ano, na concretização de ações de promoção e de marketing internacional no mercado brasileiro, através de “campanhas em supermercados, nas redes sociais, em blogues e na comunicação social”, disse Jorge Soares.

A escolha do Brasil prendeu-se, segundo o presidente da APMA, com o facto de “este ano a produção ter tido o mesmo número de fruto, mas menos quilos, sendo os frutos mais pequenos, mas com mais sabor”, o que levou a apostar num mercado que “valoriza o sabor, consome fruta pequena e que este ano teve um quebra de produção que fez com que a maçã brasileira só chegasse até novembro”.

Face a esta circunstância e à campanha promocional, a APMA passou de “um ano histórico com a menor exportação para o Brasil, com apenas 4% o ano passado, para uma exportação superior a 10% este ano, a maior dos últimos cinco anos”, acrescentou.

Os resultados do projeto que “define um posicionamento baseado no conceito ‘Atlantic Apple’, dado a Maçã de Alcobaça ser a única com influência atlântica”, e cujas características se devem “às interações muitos específicas entre a maresia do atlântico e o ‘terroir’ da área de produção”, foram no sábado apresentados na sede da empresa Embala na Hora, em Óbidos.

À Lusa, Jorge Soares admitiu a intenção de avançar com novas candidaturas a projetos de promoção que, a serem aprovados, e dependendo da percentagem de comparticipação, poderão incidir num de três mercados internacionais: países árabes, Espanha ou Inglaterra.

Fundada em 2001, A APMA é a entidade gestora da Indicação Geográfica Protegida (IGP) “Massa de Alcobaça” e detentora da marca e imagem coletiva.

Constituída por 22 associados, empresas e organizações de produtores que produzem Maçã de Alcobaça IGP, tem como missão a promoção e valorização das maçãs qualificadas da região Oeste.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.