A queixa que foi entregue aos reguladores europeus alega que terá havido conflito de interesses no negócio e há suspeita no valor do desconto. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo Público.

A sucursal foi vendida por menos 68,2% do seu valor de balanço e o conflito de interesse vem do facto do atual presidente e supervisor geral do Novo Banco, Byron Haynes, ter sido até 2017 o presidente executivo do fundo que comprou a sucursal francesa do BES.

O Novo Banco, porém, rejeita estas acusações e alega que o negócio foi autorizado pelos reguladores franceses e pelo Banco Central Europeu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.