Em comunicado, a empresa explicou que, no cumprimento do Plano de Recuperação Judicial, o Conselho de Administração, em reunião realizada em 21 de janeiro de 2019, decidiu aprovar a emissão de 272.148.705 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, ao preço de emissão de 1,24 reais (0,288 euros) por ação.

Na sequência da subscrição das novas ações ordinárias emitidas no aumento de capital, e da subscrição da totalidade das novas ações ordinárias emitidas no aumento de capital — Novos Recursos, o capital social da Companhia passou a ser de 32,5 mil milhões de reais, dividido em 5.954.205.001 ações, sendo 5.796.477.760 ordinárias e 157.727.241 ações preferenciais, “todas nominativas e sem valor nominal”.

O aumento de capital foi realizado por meio da emissão de 272.148.705 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, sob a forma de ‘American Depositary Shares’ representativos de ações ordinárias, na forma prevista o plano.

No início do mês, a Oi e seu acionista Pharol/Bratel chegaram a acordo para o “encerramento e extinção de todo e quaisquer litígios judiciais e extrajudiciais”.

Assim, e após negociações nas quais “chegaram a um consenso”, terminam todos os litígios “no Brasil, Portugal e em todos os diferentes países onde existem discussões envolvendo empresas dos dois grupos”, segundo um comunicado divulgado na altura.

Segundo a mesma fonte, os Conselhos de Administração da Oi e da Pharol aprovaram por unanimidade o acordo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.