O Produto Interno Bruto (PIB) registou um crescimento de 11,9% no primeiro trimestre face ao mesmo período do ano passado e de 2,6% em cadeia, segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgada hoje.

"O PIB, em termos reais, registou uma variação homóloga de 11,9% no 1.º trimestre de 2022 (5,9% no trimestre anterior)", refere o relatório do organismo de estatística nacional.

De acordo com o INE, a evolução em termos homólogos "reflete em parte um efeito de base dado que, em janeiro e fevereiro de 2021, estiveram em vigor várias medidas de combate à pandemia que condicionaram a atividade económica".

O PIB de Portugal foi o que mais cresceu (11,9%) no primeiro trimestre, entre os 11 países da União Europeia (UE) para os quais há dados disponíveis, segundo uma estimativa rápida hoje divulgada pelo Eurostat.

A zona euro viu a sua economia acelerar para os 5%, valor que compara com a subida de 0,2% do trimestre homólogo e de 4,7% dos últimos três meses de 2021.

O crescimento do PIB da UE, por seu lado, também acelerou no primeiro trimestre para os 5,2%, face os 0,4% homólogos e aos 4,9% do período anterior.

Inflação sobe para 7,2% em abril, o valor mais alto desde há 29 anos

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 7,2% em abril, face aos 5,3% de março, o valor mais alto desde março de 1993, avançou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a estimativa rápida divulgada pelo instituto estatístico, “tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 7,2% em abril (5,3% em março)”.

“Trata-se do valor mais elevado registado desde março de 1993”, sublinha.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 5,0% (3,8% no mês anterior), o registo mais elevado desde setembro de 1995.

Quanto à taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos, o INE estima que se situe nos 26,7% em abril (19,8% no mês precedente), o “valor mais alto desde maio de 1985”.

Já o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 9,5%, que compara com 5,8% em março.

Comparativamente com o mês anterior, a variação do IPC ter-se-á fixado em 2,2% (2,5% em março e 0,4% em abril de 2021), estimando-se uma variação média nos últimos 12 meses de 2,8% (2,2% no mês anterior).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de 7,4% em abril (5,5% no mês anterior).

Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de abril de 2022 serão publicados pelo INE em 11 de maio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.