O chefe de Estado falou sobre o valor dos juros da dívida pública em resposta à comunicação social, após ter discursado na sessão de abertura do 4.º Congresso dos Jornalistas, no cinema São Jorge, em Lisboa.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, na emissão de dívida realizada na quarta-feira, com juros de 4,2%, "Portugal conseguiu ter um financiamento apreciável no mercado no começo do ano, que corresponde a uma parte substancial daquilo de que precisava para o ano".

"Depois da emissão, os juros nos mercados desceram abaixo de 4%", salientou.

Em seguida, o Presidente da República chamou a atenção para o fator da inflação: "Quando comparamos 4,2% deste ano com 3,2% do ano passado, temos de ter presente que no ano passado a inflação estava a 0% e agora a inflação está algures entre 0,6% e um pouco acima, a caminho de 1%. Portanto, isso tem de ser abatido ao valor da taxa nominal".

"Dito isto, acompanho, naturalmente, essa situação, mas penso que a reação dos mercados ontem [quarta-feira] depois da emissão e hoje mostra que, tirando o fator da inflação, que pesou e vai pesar, quanto ao resto, não há motivo para alarme", considerou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.