Com esta expansão, o país envolto na incerteza do ‘Brexit’ evita entrar em recessão técnica, que ocorre quando existem dois trimestres consecutivos de contração.

Apesar da ligeira recuperação da economia durante o verão, o Reino Unido cresce ao ritmo mais desacelerado “desde há quase uma década”, referiu o porta-voz da ONS.

O porta-voz da ONS indicou que o aumento do PIB se deveu aos “sólidos” dados no setor dos serviços registados em julho passado.

“O setor dos serviços voltou a liderar, e o setor da construção registou um bom rendimento”, adiantou a mesma fonte.

As quedas da indústria transformadora foram compensadas em parte por uma recuperação da produção de automóveis.

A economia britânica mantém-se relativamente estável, ainda que desacelerada, apesar da incerteza gerada pelo ‘Brexit, que deve concretizar-se em 31 de janeiro de 2020.

Os britânicos vão escolher o novo Governo do país numas eleições antecipadas em 12 de dezembro que determinará como se concretizará a retirada do bloco europeu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.