Só um terço das empresas portuguesas têm gestores com formação superior, noticia o jornal Público esta sexta-feira, que cita um estudo encomendado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos e que é agora divulgado.

"Do made in ao created in – Um novo paradigma para a economia portuguesa" mostra que “apesar do progresso recente, os administradores das empresas portuguesas têm ainda um nível baixo de instrução formal”, lê-se no estudo que relembra que em 2006 o número de gestores com um grau de formação superior era de 9,4% e de 11,1% em 2018.

Segundo este trabalho, este é um fator determinante para antecipar a evolução de um determinado negócio, uma vez que o nível de formação de um administrador está diretamente ligado à produtividade e à probabilidade de uma empresa se tornar exportadora e de destaque na área, sobretudo numa realidade como a portuguesa em que 97% das empresas são micro e pequenas empresas.

“É bem sabido que o capital humano dos administradores, se medido como a proporção dos administradores com formação superior, está forte e positivamente correlacionado com os resultados de gestão. As equipas de gestão com, pelo menos, um administrador com formação superior são mais produtivas”, lê-se.

O estudo de mais de 20 investigadores quer associar ao made in Portugal (feito em Portugal) o selo de created in Portugal (criado em Portugal) para que o país possa criar um paradigma em que impede a 'fuga de cérebros' e aposta no conhecimento para renovar e melhorar as empresas portuguesas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.