Duas fontes, que solicitaram o anonimato, disseram à AFP que o grupo de combatentes do Estado Islâmico na África Ocidental (ISWAP), um ramo do Boko Haram filiado no autoproclamado Estado Islâmico desde 2016, atacou a base militar de Jakana na sexta-feira com metralhadoras e lança-granadas, uma ofensiva seguida de combates intensos.

"Perdemos 14 soldados na batalha, incluindo o oficial no comando e um outro oficial", disse uma das fontes contactadas pela agência de notícias francesa, a AFP, que acrescentou que o ataque foi feito com metralhadoras e lança-granadas.

Jakana, a 25 km de Maiduguri, é a capital do Estado de Borno e o centro da insurreição jihadista da Nigéria, e está situada numa estrada estratégica para os combatentes do ISWAP, já que liga os seus campos na floresta de Benisheikh aos seus esconderijos em Buni Yadi, na região de Yobe.

A aldeia e a base militar ali localizada foram alvo de numerosos ataques do grupo, que foi formado a partir de uma divisão de Boko Haram.

A insurreição desenvolveu-se no nordeste da Nigéria a partir de 2009, antes de se espalhar para os vizinhos Camarões, Níger e Chade.

Desde então, mais de 36 mil pessoas, a maioria nigerianos, foram mortas e três milhões foram forçadas a fugir das suas casas, de acordo com os dados das Nações Unidas citados pela AFP.

MBA // JPF

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.