Segundo informações das autoridades policiais brasileiras, cerca de 250 agentes estão a executar 35 ordens judiciais de busca e apreensão e outras 14 ordens de prisão.

A maioria dos procurados são funcionários da área de segurança pública, que supostamente fariam parte de um "esquadrão da morte" (grupo organizado de assassinos).

Num comunicado oficial, a Polícia Federal afirmou que "os agentes públicos envolvidos nesta organização criminosa começaram a realizar assassinatos como uma forma de justiça privada contra jovens delinquentes".

Posteriormente, os assassinatos começaram a acontecer rapidamente e por razões diversas como, por exemplo, em ações de cobranças de dívidas.

Os investigadores notaram que todos os assassínios foram realizados de forma parecida, o que permitiu identificar alguns membros do grupo.

A polícia confirmou que pelo menos 10 mortes foram realizadas pelo "esquadrão da morte", mas informou que ainda investiga outros 100 homicídios que poderiam ser atribuídos a este grupo.

CYR // EL

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.