Estamos mesmo na recta final deste que foi o ano mais incrível das nossas vidas. A quem, no final de 2019, mamou as passas e pediu que 2020 fosse um ano completamente diferente: obrigadinho! O seu desejo foi concedido, mas diferente nem sempre é melhor, como se pode ver por aquelas pessoas que tentam rapar o cabelo de um dos lados e pintar de azul para sobressair porque são únicos e irreverentes e depois ficam só a parecer um pintassilgo que foi a um barbeiro daltónico e com Parkinson. Apesar de ter sido um ano muito diferente dos outros, foi um ano muito monotemático com a pandemia a ser o centro das atenções. No entanto, e como faço todos os anos, aqui fica um resumo cronológico de 2020:

1 de Janeiro - Austrália continua a sentir-se como se tivesse apanhado um esquentamento venéreo - toda a arder - e mais de 500 milhões de animais morreram naquele que foi, segundo o livro de recordes do Guinness, o maior churrasco de sempre. Em Portugal estudou-se a hipótese de tentar bater esse recorde com um churrasco servido na ponte Vasco da Gama, mas optou-se por se fazer o maior arroz de lapas do mundo.

3 de Janeiro - Estados Unidos matam um general iraniano, mas não é bem crime porque quando os norte-americanos matam alguém é para assegurar a liberdade e nunca terrorismo, obviamente. Jorge Jesus deu os sentimentos à família do jogador Slimani porque ele sempre pronunciou Soleimani e faz confusão entre Irão e Argélia.

7 de Janeiro - Os iranianos retaliam com umas bombinhas e ficaram todos amigos e afinal não há III Guerra Mundial.

8 de Janeiro - Meghan e Harry despedem-se da família real como se aquilo fosse um trabalho a sério e tivessem muita coragem de ir “trabalhar” sendo que continuam a ter milhões.

11 de Janeiro - Primeira morte reportada por covid na China.

15 de Janeiro - Graça Freitas diz que é muito pouco provável que o vírus chegue cá e que se transmita de pessoa para pessoa. Nós, ingénuos, confiamos na senhora que faz lembrar uma professora primária em fim de carreira. 

16 de Janeiro - Começa o julgamento do impeachment de Donald Trump.

26 de Janeiro - Morreu Kobe Bryant, o humorista Guilherme Duarte faz uma piada no Twitter e Eduardo Bolsonaro, filho do presidente brasileiro, faz retweet e incentiva os seus seguidores acéfalos a tentar bloquear o humorista. Não conseguem, Guilherme 1, Bolsominions 0.

5 de Fevereiro - Donald Trump absolvido do processo de impeachment. Muitos não aceitam o resultado e dizem que é batota. Mais tarde, serão eles a dizer que o Trump é que tem mau perder.

9 de Fevereiro - O filme Parasita torna-se no primeiro filme não falado em inglês a ganhar o Oscar de melhor filme, acendendo a ira de muitos norte-americanos patriotas porque não fizeram dobragem do filme e eles não sabem ler legendas. Nem ler, na generalidade. 

7 de Março - Fazem uma festa covid em Santa Maria da Feira.

11 de Março - Declarada pandemia pela OMS. O pessoal de Santa Maria da Feira fica um bocado acagaçado.

12 de Março - Morre Ihor Homenyuk, ucraniano de 40 anos, às mãos do SEF, mas como testou negativo para a covid ninguém se importa muito com esta morte.

13 de Março - Bill Gates sai da administração da Microsoft para se dedicar a actividades filantrópicas. Enquanto isso, parte da Internet diz que ele é responsável pela covid e que foi tudo planeado para lucrar com a vacina que tem chips lá dentro para o Bill nos conseguir controlar com o seu joystick.

14 de Março - Rodrigo Guedes de Carvalho ganha o prémio de Grilo Falante, tornando-se na consciência de Portugal. As notícias, antigamente, terminavam com a meteorologia ou passagens de modelo, agora passam a terminar com poemas ou citações foleiras da Internet.

16 de Março - Graça Freitas presenteia-nos com uma performance ao nível do Cirque du Soleil, ao tentar abrir uma garrafa e servir-se com água sem apanhar covid. Podia ser um anúncio de sensibilização da DGV em 2002 com a música da Aimee Mann.

18 de Março - São colocados arco-íris nas janelas com a frase “Vai ficar tudo bem” e as pessoas cantam à janela e batem palmas para agradecer o trabalho dos profissionais de saúde e outros trabalhadores essenciais.

20 de Abril - Especialistas dizem que a vacina nunca será possível antes do verão de 2021.

25 de Abril - A NOS lança um anúncio com a Mariza em que esta faz caras de quem acabou de perceber que meteu picante a mais na comida. Ao contrário da velocidade e sinal da NOS, o anúncio era bastante constante na televisão e Internet. 

28 de Abril - O Pentágono assume que uns vídeos onde aparecem OVNIs que tinham ido parar à internet há uns anos são reais. Para distrair deste acontecimento, Donald Trump sugere que a covid pode ser curada se metermos lixívia e desinfectante algures dentro do nosso corpo. Bem que lhe fazia jeito passar lixívia na cara para tirar o tom alaranjado. 

5 de Maio - André Ventura pega-se com o jogador de futebol Quaresma e ficamos todos com um olho no burro e outro no cigano.

10 de Maio - Cláudio Ramos grita Noélia na televisão e faz lembrar a minha mãe quando chamava a mim e ao meu irmão para jantar depois de a ignorarmos dez vezes.

25 de Maio - A polícia mata George Floyd e estala o verniz nos Estados Unidos e um pouco por todo o mundo. Uns gritam Black Lives Matter, outros com algum défice cognitivo gritam All Lives Matter porque não percebem bem como as coisas funcionam.

2 de Junho - Terça-feira de blackout em que milhões de pessoas, especialmente celebridades, publicam um quadrado preto no Instagram para acabar com o racismo.

3 de Junho - O racismo afinal não acabou.

4 de Junho - André Ventura pega-se com o músico Agir

25 de Junho - Pessoas ficam indignadas com a série de animação da RTP2, as Destemidas, porque “tem duas fufonas a beijarem-se e as crianças ainda ficam maricas dos olhos.” São as mesmas pessoas que estão fartas do “politicamente correcto” e que tentam censurar e cancelar a série da RTP2.

20 de Julho - Vamos de férias e percebemos que, afinal, não vai ficar tudo bem e que as pessoas continuam um bocado egoístas e otárias.

4 de Agosto - Explosão em Beirute, as pessoas fingem que se importam muito durante dois dias.

23 de Agosto - António Costa chama cobardes a alguns médicos. Médicos esses que, de baixa nas suas casas de campo para fugir da covid, dizem que é inadmissível.

25 de Agosto - OMS anuncia que a pólio foi erradicada nos 47 países africanos abrangidos pela OMS. Filho da mãe do Bill Gates, sempre a fingir que quer ajudar o mundo a acabar com doenças mortais só para depois nos controlar com o seu joystick.

26 de Agosto - Macaulay Culkin fez 40 anos e o mais surpreendente não é já ter passado tanto tempo, mas ele ter conseguido chegar aos 40.

29 de Agosto - Manifestação de chalupas em Lisboa que acham que as elites comem crianças ao pequeno almoço. Ficámos admirados porque não sabíamos que havia malucos deste gabarito em Portugal, normalmente este calibre de bilús das ideias só no estrangeiro, mas finalmente também se começa a fazer as coisas bem por cá.

4 de Setembro - Por falar em comer crianças, a Festa do Avante acontece e o que é certo é que a covid em todo o mundo está a aumentar.

12 de Setembro - António Costa integra a comissão de honra da candidatura de Luís Filipe Vieira. Toda a gente acha indecente, mas depois descobre-se que eles são primos afastados em décimo grau e já sabemos que Costa é muito apegado à família.

16 de Setembro - Rita Pereira vai ao Vaticano e, imbuída pelo espírito altruísta de Jesus Cristo, decide fazer umas stories para os seus seguidores que nunca terão oportunidade de ir lá porque são pobres e não são ricos e fabulosos como ela.

10 de Outubro - André Ventura pondera com quem irá pegar-se desta vez para voltar a ser notícia já que com a pandemia ninguém lhe liga e ele sente falta da atenção.

15 de Outubro - O livro Por Ladrar Noutra Coisa, Diário de uma Bitch, escrito pela cadela Zaya, é lançado e eleito o melhor livro de sempre na Europa.

19 de Outubro - Marcelo mostra o físico ao tomar a vacina da gripe. Para quem nada tanto estávamos todos à espera de mais.

5 de Novembro - Trump perde as eleições e faz birra, mostrando que tem o ego de Jorge Jesus e o mau perder de Sérgio Conceição.

18 de Novembro - José Rodrigues dos Santos sugere que as câmaras de gás dos campos de concentração nazis foram criadas por questões humanitárias. Sugere também que a bomba atómica foi usada por questões de decoração paisagística. 

30 de Novembro - O Lidl lança roupa com o seu logo e marca e as pessoas, feitas burras, compram tudo porque é cool e irónico e giro ser um outdoor ambulante para uma cadeia de supermercado. De notar que muitas destas pessoas dizem que o capitalismo é um cancro. Pior ainda porque as cores das roupas são armadilhas para epilépticos. 

3 de Dezembro - Chicão é humilhado em público. Ljubomir, depois de desconstruir um bacalhau à brás, desconstrói a hipocrisia do líder do CDS.

6 de Dezembro - São instalados botões de pânico nos quartos dos imigrantes ao cuidado do SEF. O que as pessoas não sabem é que esses botões de pânico têm de ser pressionados com as mãos amarradas atrás das costas e numa sequência de Fibonacci. 

7 de Dezembro - José Rodrigues dos Santos justifica as suas declarações, mas ninguém acredita muito em alguém que lança mais um livro da moda com Auschwitz no nome só para vender mais.

8 de Dezembro - É administrada a primeira vacina no mundo contra a covid, a uma senhora do Reino Unido. Os especialistas que diziam que nunca antes do verão de 2021 não comentam. 

10 de Dezembro - Miguel Sousa Tavares tenta explicar o que é a tecnologia blockchain e faz figura de urso. Sorte a dele que os amigos caçadores não estavam perto, caso contrário já tinha a cabeça pendurada na parede de algum com complexos de tamanho peniano. 

15 de Dezembro - Colégio eleitoral dá a vitória a Biden. Tirar o Trump para meter Biden, quando falta tão pouco para acabar o mundo é uma espécie de substituição à Jorge Jesus 5 minutos antes do fim do jogo só para queimar tempo. Esta é a terceira e última referência a Jorge Jesus neste texto.

27 de Dezembro - É administrada a primeira vacina contra a covid em Portugal. Os especialistas que diziam que nunca antes do verão de 2021 continuam calados. 

Desejo a todos um bom ano novo, a não ser que sejam daqueles que recusam tomar a vacina. Nesse caso desejo que fiquem doentes com covid e que sejam internados e que, em vez de médicos e enfermeiros, tenham apenas mestres Reiki e Homeopatas para vos acudir. Feliz 2021.

Sugestões para 2021: 

Não sejam burros e tomem a vacina

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.