O dia 24 de agosto de 2021 assinala o início dos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020. A maior competição desportiva planetária para atletas com deficiência faz reluzir os olhos de milhões de espectadores espalhados por todo o mundo que ansiavam há muito pela emoção, diversidade e excelência que cada atleta é capaz de transmitir. Foram cinco anos de esforço árduo, cinco anos de treino diário intenso para cada um concentrar tudo de si em apenas alguns minutos – por vezes segundos – que ficarão guardados na memória individual e coletiva do país que trazem ao peito.

Em Tóquio 2020 estão os melhores dos melhores e Portugal está condignamente representado nesta elite mundial da excelência desportiva. Temos 33 atletas de oito modalidades concentrados, motivados e decididos a lutar com todas as suas forças para melhorarem as suas melhores marcas pessoais, apresentarem-se ao mais alto nível perante o mundo e, em especial, perante os portugueses que os acompanham. Conquistaram por mérito próprio o privilégio de envergar o brasão nacional e a responsabilidade de o honrarem com a resiliência que os caracteriza. E certamente que o farão.

A Missão Portuguesa aos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020 encontra-se em Tóquio, na sua grande maioria, desde 15 de agosto. Os estágios de aclimatação realizados em Fujisawa e Komatsu contribuíram de forma decisiva para a correta aclimatação à humidade e calor característicos do Japão, bem como adaptação ao fuso horário de 8 horas, para que cada atleta se possa encontrar nas melhores condições para a competição. O compromisso de todos foi inexcedível desde o primeiro momento e o bom sentimento de grupo um indicador positivo para o enfrentar dos desafios destes Jogos Paralímpicos. Também a hospitalidade e simpatia dos japoneses faz esta delegação nacional sentir-se um pouco em casa.

Em Portugal, a milhares de quilómetros de distância, o apoio e incentivo dos portugueses é também um fator decisivo. Os 33 atletas nacionais que competem de 25 de agosto a 5 de setembro levam em si cada mensagem de incentivo recebida do lado oposto do globo. A Missão Paralímpica Portuguesa vai percorrer o seu trajeto em terras nipónicas lado a lado com todos os portugueses que a seguem e reconhecem o seu valor, na incorporação coletiva do espírito bravo e resiliente que a caracteriza.

Leila Marques Mota, Chefe de Missão aos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.