“Pela primeira vez, colocamos à venda NFT (‘Non Fungible Tokens’ ou 'Token' Não Fungível) vinculados a lugares imobiliários”, salientou Arnaud Oliveux, leiloeiro da casa Artcurial que administrou a venda que decorreu na capitania do porto de Cannes.

Os NFT são ativos digitais que devido a uma tecnologia de cadeia de blocos, denominada “blockchain”, ficam registados como únicos, irreplicáveis e cujo historial de transações pode ser seguido desde a origem.

Desde 01 de março que a lei francesa autoriza as casas de leilão a oferecerem “bens intangíveis” e, esta terça-feira, dez lugares emblemáticos da cidade famosa pelo seu festival internacional de cinema, foram leiloados.

Além do Palais des Festivals, foi também a leilão a Croisette - o passeio à beira-mar – e o Porto Velho ou o Suquet, o berço histórico da cidade.

A oferta mais alta foi pelo Palais des Festivals, que foi adquirido por 65 mil euros, enquanto a Croisette rendeu 59.040 euros, divulgou a casa de leilões em comunicado.

O leilão totalizou os 331.936 euros, incluindo os custos, realçou ainda a Artucurial, que considerou este tipo de venda “um sucesso”.

Os compradores vão receber uma chave digital segura contendo o NFT e um modelo 3D da sua aquisição, que poderão, depois, integrá-la no metaverso (mundo virtual), para fazer um uso comercial ou cultural deles, explicou Charles-Henri Puaux, CEO da Pertimm, prestadora de serviços especialista em e-commerce (comércio ‘online’).

Entre outras possibilidades, o comprador poder abrir lojas virtuais na Croisette ou realizar eventos ou festivais no palácio, "respeitando os usos previstos no contrato", acrescentou Puaux.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.