Toda a jornada do bilionário foi transmitida em direto pela companhia.

Seis pessoas, incluindo Richard Branson, efetuaram hoje a sua primeira viagem ao espaço a bordo do avião VSS Unity, que descolou e aterrou com sucesso da base SpacePort America, no deserto do Novo México, nos Estados Unidos.

Após hora e meia de atraso devido às condições meteorológicas, o avião espacial da Virgin descolou perto das 08:40 (15:40 em Lisboa), com cinco funcionários da companhia aérea e o respetivo fundador, o empresário e filantropo britânico.

O VSS Unity está assente numa aeronave de fuselagem dupla e desprendeu-se da nave-mãe a uma altitude de oito milhas (13 quilómetros), disparando o seu motor de foguete e perfurando a borda entre a atmosfera e o espaço a 55 milhas (88 quilómetros), para garantir uma sensação de microgravidade e uma vista privilegiada sobre o planeta.

Depois de cerca de quatro minutos acima da superfície terrestre, onde a tripulação alcançou a gravidade zero, o avião espacial começou a viagem de regresso e culminou uma viagem histórica na base SpacePort América cerca das 09:40 (16:40 em Lisboa).

"É um lindo dia para ir para o espaço", escreveu na rede social Twitter Richard Branson, de 70 anos, que viveu a aventura mais ousada face ao desejo antigo de voar no espaço, publicando ainda uma foto com o colega bilionário e rival do turismo espacial Elon Musk.

O fundador da Virgin esteve para não realizar este voo até ao final do verão, mas trocou de ideias assim que o bilionário Jeff Bezos, fundador da gigante tecnológica Amazon, programou embarcar na primeira viagem ao espaço da Blue Origin em 20 de julho, coincidindo com o 52.º aniversário da chegada de Neil Armstrong e Buzz Aldrin à Lua.

​O lançamento do foguetão VSS Unity foi, para a empresa, a quarta missão tripulada além da atmosfera terrestre, mas a primeira com passageiros, pretendendo aumentar a confiança no negócio de turismo espacial da Virgin, determinada a começar as viagens comerciais em 2022.

A companhia foi autorizada pelo regulador de segurança aérea dos Estados Unidos a levar pessoas ao espaço numa viagem curta, para cima e para baixo, ao invés dos voos tradicionais, em que os astronautas circulam pela Terra e flutuam no espaço por dias.​​​​​​​

“Acredito verdadeiramente que o espaço pertence a todos nós”, afirmou Richard Branson, bilionário num comunicado quando anunciou a intenção de fazer esta viagem.

“Depois de 16 anos de investigação, engenharia e testes, a Virgin Galactic está na vanguarda de uma nova indústria espacial comercial, uma indústria que deve abrir espaço para a humanidade”, concluiu.

Depois deste, estão previstos mais dois testes antes do início dos voos comerciais regulares em 2022, indicou a Virgin Galactic.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.