__________________________________________________________________

Soprar as velas e pensar no futuro

Quando pensamos na cultura pop cinematográfica do início dos anos 2000, é impossível fugir aos clichés dos filmes de adolescentes. Certamente que agora estás a pensar em títulos como “10 Coisas Que Odeio Em Ti”, “Mean Girls” ou até mesmo o “Clueless”, mas na lista está outro que é igualmente um clássico e que celebrou, nos últimos dias, 20 anos.

Estou a falar de “Legalmente Loira”, um filme de Robert Luketic (que nos deu outros filmes de ‘sábado à tarde’ como “Killers” e “Uma Sogra de Fugir) que foi a rampa de lançamento da atriz Reese Witherspoon (que mais tarde protagonizou “Walk in Line” e “Big Little Lies”).

  • Se nunca ouviste falar deste filme (leitores da Geração Z, isto é um safe space) ou se precisas que te refresque a memória, preparei alguns factos para te dar algum contexto sobre “Legalmente Loira”:
  • O filme conta a história de Elle Woods, uma rapariga de boas famílias que fica com o coração partido quando o seu namorado termina o relacionamento com a desculpa de que precisa “de uma Jackie, não de uma Marylin” (que é como quem diz “preciso de uma miúda inteligente, não de uma miúda gira”)
  • Com o coração partido, Elle vai dar o seu melhor para entrar no curso de direito em Harvard e provar a todos (mas em especial ao rapaz) que é muito mais do que uma cara bonita. Seria este o conceito de empoderamento feminino em 2001?!

  • O filme é baseado num romance homónimo que, por sua vez, é baseado numa experiência real da autora, Amanda Brown
  • Estima-se que o filme tenha feito mais de 141 milhões de dólares em bilheteira
  • Ainda que hoje em dia Reese Witherspoon pareça ter nascido para interpretar este papel, na verdade Christina Applegate foi a primeira escolha. A atriz admitiu anos mais tarde que recusou o papel porque não queria contribuir para o estereótipo das mulheres loiras. Descobre mais aqui
  • Depois do sucesso do primeiro filme, seguiu-se “Legalmente Loira 2” (2003) e “Legally Blondes” (um spin off lançado em exclusivo para DVD em 2009). No final do ano passado foi anunciado oficialmente um terceiro filme da saga, que, ao que tudo indica, vai chegar no próximo ano.
  • Mais do que recordar o filme (que atualmente só está disponível para compra no YouTube) e sugerir que faças um throwback nostálgico para ver ou rever esta história, queria convidar-te a fazer um exercício de reflexão. Tal como muitos outros filmes desta altura, “Legalmente Loira” é um conjunto gigante de estereótipos. Temos a loira burra cujo maior objetivo de vida é estar com o homem dos seus sonhos, pessoas ricas, superficiais e materialistas, miúdas que ou são giras ou inteligentes, e até cães pequeninos que servem de adereços para combinar com as malas.
  • Será que a cultura woke ia permitir que “Legalmente Loira” vivesse e tivesse sucesso nos dias de hoje? Ou já não estamos muito virados para este tipo de humor? De que forma é que vão conseguir manter a essência num futuro terceiro filme, sem nos tirar aquilo que nos fez criar um carinho pela personagem Elle Woods?

Com os chakras desalinhados

Se estás à procura de uma série que não tenha sido lançada de uma vez e que todas as semanas te dê um bom motivo para ansiar pela próxima segunda-feira, a HBO estreou recentemente uma minissérie que é perfeita para quem gosta de humor, mas que está farto de episódios que não ultrapassam os 20 minutos.

“The White Lotus” é uma minissérie que, na teoria, nos promete uma história passada num retiro de férias paradisíaco, mas que, na prática, nos entretém com peripécias caóticas e um monte de first world problems. No total, vai ter apenas seis episódios, dos quais 2 já estão disponíveis na plataforma de streaming, o que significa que, até praticamente ao final do verão, vais ter uma dose semanal de quase 1 hora de humor satírico à moda das boas famílias norte-americanas.

Como te disse, o cenário principal da história é um hotel localizado numa ilha havaiana, The White Lotus, onde tudo aparenta ser perfeito, só que, na verdade, não podia ser pior organizado. Por confiarem no que leram online e na sua reputação, várias famílias optam por lá ficar hospedadas, na expectativa de terem as melhores férias de sempre. O que se segue é uma queda livre, uma bola de neve, em que tudo o que pode vai correr mal. No entanto, no final do dia, não passam de problemas de pessoas que estão bem e que só queriam estar ainda melhor.

__________________________________________________________________

Ouve aqui o episódio desta semana do podcast Acho Que Vais Gostar Disto:

__________________________________________________________________

Desde o parto de uma empregada no primeiro dia de trabalho a um casamento arruinado em lua de mel porque o casal não ficou com a suite de luxo que desejava (apenas com a segunda melhor) e ainda com direito a romances entre visitantes e staff, estou convencida de que não há nada que não aconteça aqui, mesmo só tendo visto dois episódios.

  • Caras conhecidas: Estão prontos para a lista? Ora, o cast conta com a participação de Jennifer Coolidge ("American Pie"), Alexandra Daddario ("Baywatch: Marés Vivas"), Fred Hechinger ("Rua do Medo"), Jake Lacy ("Girls"), Natasha Rothwell ("Insecure"), Sydney Sweeney ("Euphoria") e Steve Zahn ("Rescue Dawn").
  • Fez-me lembrar… De uma forma completamente diferente e, ao mesmo tempo, muito parecida, “Superstore”, que conta o dia-a-dia dos empregados de um supermercado. A série que não é muito falada por cá, penso eu que por ainda não ter chegado a nenhuma plataforma de streaming (apesar de já ter sido transmitida na Fox Comedy). Mas, ainda que em contexto diferentes, as duas séries têm muitas semelhanças na forma caótica como as peripécias se desenrolam.

Créditos Finais:

  • Ainda não ouviste o último episódio do nosso podcast?: Eu, o João Dinis e o Miguel Magalhães tivemos a difícil tarefa de destacar aquelas que são as melhores séries de comédia e de drama e as melhores interpretações do último ano. Curioso com as nossas escolhas? Ouve aqui.
  • A contar os dias para sexta: Para além de dia de novo episódio do nosso podcast, é também dia de lançamento de novo álbum de Kanye West. Em “Donda: With Child”, o rapper americano tem colaborações com alguns dos melhores artistas da atualidade, como The Weeknd, Kendrick Lamar e Tyler, The Creator. Descobre aqui o que já se sabe sobre o álbum.
  • O que a Netflix anda a tramar: Os próximos dias vão trazer muito conteúdo bom para aqueles que, como eu, gostam de mergulhar em guilty pleasures. Fica atento às estreias de “Sexy Beasts” (dia 21), “Too Hot To Handle Brasil” (dia 21) e “Sky Rojo” T2 (dia 23) na plataforma de streaming.

Tens recomendações de coisas de que eu podia gostar? Ou uma review de um dos conteúdos de que falei? Envia para mariana.santos@madremedia.pt

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.