"Neste momento temos confirmados Isabelle Huppert, através da presença dela, [com] uma grande exposição de fotografia dos maiores fotógrafos mundiais que a fotografaram ao longo destes anos, que vai estar no MU.SA, temos a presença desse grande homem de teatro e cinema, Peter Brook", afirmou hoje aos jornalistas o diretor do evento, Paulo Branco.

O diretor do Leffest, que apresentou o programa geral da 11.ª edição do certame no Palácio Nacional de Queluz, acrescentou que também já estão confirmadas as participações dos músicos Gidon Kremer e Alain Planès.

Uma das atrizes europeias mais influentes das últimas décadas, nomeada para o Óscar de melhor atriz pelo filme “Ela”, de Paul Verhoeven, Isabelle Huppert será ainda homenageada com uma mostra dos filmes que protagonizou, de reputados ou influentes realizadores como Jean-Luc Godard, Werner Schroeter, Claude Chabrol, Otto Preminger, Michael Cimino ou Michael Haneke.

Na retrospetiva deverá ser exibida a obra “Claire’s Camera”, de Hong Sang-soo, ainda por estrear em Portugal.

A homenagem a Peter Brook incluirá a apresentação da sua mais recente peça “Battlefield”, em colaboração com Marie-Hélène Estienne, no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, uma retrospetiva de filmes e uma ‘masterclass’.

O festival vai contar ainda com retrospetivas da obra cinematográfica de João Mário Grilo e de José Vieira, cineasta que “emigrou para França muito novo, vive lá há muitos anos, e que tem feito um trabalho espantoso sobre a comunidade portuguesa em França”, adiantou Paulo Branco.

A retrospetiva integral da obra de João Mário Grilo vai incluir a curta-metragem inédita “Não Esquecerás”, a partir do conto de Dulce Maria Cardoso, a par de, entre outros, “A Estrangeira”, “O Processo do Rei”, “O Fim do Mundo” e “Os Olhos da Ásia”.

O realizador José Vieira, com filmografia singular dedicada à problemática da emigração, selecionou de entre a sua obra para exibição no Leffest oito filmes, entre os quais “A Fotografia Rasgada” (2002), “O Pão que o Diabo Amassou” (2012), “Le bateau en carton” (2010) e “L'île des absents” (2016).

A ‘designer’ de moda britânica Bella Freud, que colaborou com John Malkovich e já fez parte do júri do Leffest, regressa para apresentar uma nova coleção onde deverá ser patente a relação com o cinema.

Segundo Paulo Branco, a programação de cinema será anunciada em outubro, após a confirmação das obras disponíveis para exibição e dos atores e cineastas que poderão estar presentes.

A peça “Ensaio para uma Cartografia” de Mónica Calle, a exibição do filme “Images of the East”, de Gidon Kremer e Sandro Kancheli, com a participação do escultor sírio Nizar Ali Badr, um concerto com Gidon Kremer e a violoncelista lituana Giedrė Dirvanauskaitė e um debate em torno da crise dos refugiados também constam da programação.

O simpósio internacional “Pode a Arte ser ainda subversiva?”, com curadoria de Marie-Laure Bernadac e Bernard Marcadé, decorrerá no Centro Cultural Olga Cadaval, a 24 e 25 de novembro, com a participação de artistas, realizadores, filósofos, músicos e atores.

A programação do Leffest vai repartir-se pelos cinemas Monumental e Nimas, Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, e Centro Cultural Olga Cadaval, palácios de Sintra, Queluz e Monserrate e MU.SA, em Sintra.

Depois de dez edições realizadas no Estoril e em Lisboa, o festival lançado em 2007 realiza a 11.ª edição em Sintra, após a autarquia ter decidido substituir a Câmara de Cascais na comparticipação de 250.000 euros para a sua concretização.

“Na verdade [este] é um projeto da região de Lisboa e temos cada vez mais que pensar nos nossos municípios e nos nossos territórios a esta escala regional”, afirmou Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura na Câmara de Lisboa, acrescentando que a escala permite “um protagonismo mundial” e continuar com um festival que se afirma pelo “cruzamento das várias áreas artísticas”.

O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, salientou que o município decidiu apoiar o festival pela ligação que vai proporcionar às escolas e às associações de idosos e pelo seu “valor nacional” e regional e local.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.