Quinta-feira, dia 11 de março 

No streaming

  • "Akelarre": País Basco, 1609. Os homens da região foram para o mar. Ana participa numa festa na floresta com outras raparigas da aldeia. O juiz Rostegui, comissionado pelo rei para purificar a região, manda prendê-las e acusá-las de bruxaria. Decide fazer o que for preciso para obrigá-las a confessar o que sabem sobre o akelarre, uma cerimónia mágica durante a qual o Diabo supostamente inicia as suas servas e acasala com elas. Poderá ver este filme realizado por Pablo Agüero na Netflix.

Doclisboa 2020: De onde venho, para onde vou 

Este é o terceiro momento da programação do DocLisboa 2020, que começou em outubro do ano passado. Intitulado de "De onde venho, para onde vou”, convocará filmes que se debatem sobre momentos chaves da vida captados pela câmara e que nos fazer perceber “quem somos e de onde vimos”. É uma reflexão sobre os caminhos que ainda estão por descobrir. 

Serão apresentadas obras de realizadores como Frederick Wiseman, Mohammad Malas, Paula Gaitán e Ulrike Ottinger, entre outros. Por exemplo, poderá ver “Me and the Cult Leader” (2020), de Atsushi Sakahara, que ficou gravemente ferido durante o ataque terrorista no metro de Tóquio com gás sarin em 1995, perpetrado pelo culto apocalíptico Aum. O realizador embarca numa viagem íntima com um dos líderes do culto, Hiroshi Araki, para “registar os caminhos de vida paralelos de uma vítima e de um agressor”.

Quando: Até 17 de março

Onde: Os filmes e a programação completa podem ser visionados neste link

Quanto: Bilhetes a partir dos 2,5€

Cherry
créditos: Apple Tv+

Sexta-feira, 12 de março 

No streaming

  • "Cherry": Tom Holland interpreta Cherry, uma personagem perturbada que deixou a universidade para servir no Iraque como socorrista do Exército. Quando regressa a casa como um herói de guerra, luta contra os demónios de um stresse pós-traumático não diagnosticado e vicia-se em drogas. Sem dinheiro, começa a roubar bancos para financiar o vício e destrói o seu relacionamento com Emily (Ciara Bravo). Este filme, um exclusivo da Apple TV+, é realizado pelos irmãos Russo (Joe Russo e Anthony Russo), conhecidos por terem sido diretores de vários filmes da Marvel, inclusive o "Avengers: Endgame", o filme de maior bilheteira de todos os tempos.
  • "Dia do Sim": Fartos da sensação de terem sempre de dizer que não aos seus filhos e colegas, Allison (Jennifer Garner) e Carlos (Edgar Ramírez) decidem instaurar um "Dia do Sim", em que os filhos têm o direito de ditar as regras durante 24 horas. Mal imaginam que isso os levará numa aventura de loucos por Los Angeles, que acaba por tornar a família mais próxima do que nunca. Realizado pelo porto-riquenho Miguel Arteta estreia na Netflix.

Concerto para Oboé de Martinů - Orquestra Gulbenkian / Mihhail Gerts / Pedro Ribeiro 

Durante o mês de março, todas as terças e sextas a Orquestra Gulbenkian marca presença nos palcos online. Através das plataformas digitais da Fundação serão apresentados vários concertos gravados recentemente. 

Bohuslav Martinů, figura particular do Modernismo, compôs o Concerto para Oboé e Orquestra em 1955. A obra, fortemente influenciada pelas sonoridades da época, é interpretada pela Orquestra Gulbenkian e pelo seu solista Pedro Ribeiro, sob a direção de Mihhail Gerts.

Assista através da página de Facebook da Gulbenkian Música e da Fundação Calouste Gulbenkian, assim como no canal YouTube da Fundação. Pode consultar o programa completo aqui.

Quando: 12 de março, às 19h00

Estreia “Antígona” – D. Maria II em Casa 

Num momento em que estamos todos confinados em casa, o Teatro Nacional D. Maria II traz-lhe o teatro ao seu sofá. A cada sexta-feira, é estreada uma nova peça que passou recentemente pelo teatro lisboeta, ficando em exibição durante duas semanas. 

Chega a vez de “Antígona”, texto clássico de Sófocles encenado por Mónica Garnel em 2019. A partir de uma cidade que vai adoecendo, a atriz e encenadora propõe um espetáculo que “procura a vertigem à medida que o conflito sobe”, como referido no programa. A peça conta com atores consagrados, como Manuel Coelho, Paula Mora e João Grosso, assim como as estreantes Carolina Passos-Sousa e Diana Lara, que se revezam no papel principal.

Quando: Até 26 de março

Quanto: Bilhetes a 3€

Bairro da Ponte (2019)
créditos: Stereossauro

Sábado, 13 de março 

Livestreaming de STEREOSSAURO 

Propondo-se ser um “bairro cheio de artistas”, o álbum “Bairro da Ponte” terá direito a uma livestreaming neste sábado, uma iniciativa do Centro Cultural e Congressos Caldas da Rainha

De acordo com o programa, pretendem celebrar o “o acervo exclusivo da voz de Amália Rodrigues e da guitarra de Carlos Paredes, redescoberto por Stereossauro e partilhado com duas mãos cheias de artistas convidados”. 

Quando: 13 de março, às 21h30

Quanto: Bilhetes a 2,5€

Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música
créditos: Casa da Música (Porto)

Domingo, 14 de março 

“O Olho Esquerdo de Júlio Verne” – Casa da Música

Esta ópera traz-nos música do tempo do escritor francês, autor de obras como “Vinte Mil Léguas Submarinas” e "Viagem ao Centro da Terra”, inclusive de operetas em que foi o libretista. 

Usando o humor como base de toda esta história, o concerto de Mário João Alves estreia-se agora no online numa sala digital

Quando: 14 de março, às 11h00

Mozart: Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música

A Casa da Música traz ainda outro concerto, desta vez da Orquestra Sinfónica do Porto. 

Escrito num período especialmente fértil para Mozart, o Concerto n.º 23 está entre as suas mais reconhecidas obras para piano e orquestra. Para o interpretar, a Orquestra Sinfónica contou com a direcção do maestro da escola russa e com o premiado pianista português Rafael Kyrychenko, que estudou na Bélgica com Maria João Pires e Daniel Blumenthal.

Quando: 14 de março, às 17h00

Se eu fosse Nina
créditos: Teatro São Luiz

Segunda-feira, 15 de março 

No streaming

  • "Vidas de Papel": Num bairro velho e degradado de Istambul brutalmente depauperado pela emigração, Mehmet (Çagatay Ulusoy) é uma figura querida. Além de ser o responsável pelos resíduos sólidos da zona, ajuda todos os necessitados, sobretudo crianças e adolescentes sem-abrigo, porque sabe bem aquilo por que estão a passar. A seu lado, Mehmet tem Tahsin (Turgay Tanülkü), que há muito o assiste na ajuda aos mais necessitados. Certo dia, Mehmet conhece um rapaz de 8 anos (Emir Ali Dogrul), que aparece subitamente no meio do lixo, e sente-se compelido a devolvê-lo à família sem, contudo, se dar conta do quanto começa a afeiçoar-se a ele. De origem turca e realizado por Can Ulkay, estreia na Netflix.

Estreia “Se eu fosse Nina” – São Luiz em casa 

Através de um trabalho de escrita e dramaturgia, Rita Calçada Bastos estabelece um diálogo de suposições e conjeturas entre uma Nina sonhadora, personagem roubada a “A Gaivota”, peça descrita como humorística pelo seu criador, Anton Tchekov, mas também a “Os Apontamentos de Trigorin”, a interpretação dramática desse texto por Tennessee Williams, contando também com imaginário da própria atriz.

À primeira vista esta peça é sobre um conflito de gerações entre os novos e os velhos, entre a ousadia dos primeiros e o conservadorismo dos outros. Mas, na verdade, é mais do que isso. Por trás do "humor" estão as emoções que advêm das frustrações das circunstâncias da existência.

A criadora interroga-se: “O que teria acontecido a Nina, se não tivesse ido viver para Moscovo, para um quarto de hotel entregue aos delírios da paixão por Trigorin? De que forma a nossas escolhas influenciam o lugar onde estamos?”. 

A peça reflete um dilema que revela as próprias camadas de representação: uma personagem que está presa no teatro e uma atriz que a quer salvar.

Quando: Até 22 de março (pode ser visualizado todos os dias entre as 19h00 e as 00h00)

Quanto: Bilhetes a 3€

Giancarlo Guerrero
créditos: Gulbenkian

Terça-feira, 16 de março 

Sinfonia n.º 6 de Beethoven - Orquestra Gulbenkian / Giancarlo Guerrero 

Nesta sexta-feira poderá ver a famosa sinfonia n.º 6 de Beethoven, que culmina num hino de gratidão à Natureza, dirigida pelo maestro Giancarlo Guerrero. 

Assista através da página de Facebook da Gulbenkian Música e da Fundação Calouste Gulbenkian, assim como no canal YouTube da Fundação. 

Quando: 16 de março, às 19h00

“Fritzi- a História de Uma Revolução” (2019)

Quarta-feira, 17 de março 

No streaming

  • "Simplesmente Negro": JP (Jean-Pascal Zadi), um ator fracassado na casa dos 40 anos, desenvolve a ideia de organizar uma grande marcha em Paris para protestar contra a sub-representação dos negros na sociedade e nos media. Para apoiar o projeto, tenta encontrar-se com figuras influentes da comunidade, humoristas, rappers, jogadores de futebol e ativistas. Rapidamente percebe que muitos negros, mesmo os que, inicialmente, aderem à sua ideia, têm conceções muito diferentes da sua identidade negra, em particular devido às suas experiências pessoais e às suas origens africanas, caribenhas, ou mestiças, e fica difícil definir quem é negro e quem é "negro o suficiente" para poder participar na marcha. Esta comédia francesa, realizada por Jean-Pascal Zadi e John Wax, estará disponível na Netflix.

Começa a MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa 

O MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa juntou-se à plataforma de streaming Filmin e disponibiliza várias sessões de cinema de animação, entre curtas e longas-metragens parte do programa “20 Anos Monstra” da passada edição de 2020.

Poderá ver filmes como a longa metragem “Fritzi- a História de Uma Revolução” (2019), de Ralf Kukula e Matthias Bruhn. É um conto sobre a Queda do Muro e das pessoas que foram “corajosas o suficiente para mudar o mundo”, recontando a história da revolução pacífica de 1989 do ponto de vista de uma criança. 

Será também feita uma pré-apresentação da Monstra ao Vivo, dando acesso antecipado a três sessões que integrarão o programa deste ano.

Quando: Até 4 de abril

Quanto: Bilhetes entre os 0,95€ e 2,95€

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.