ALERTA SPOILER: As linhas que se seguem têm detalhes do final da 2.ª temporada de “The White Lotus” da HBO Max.

No final da 1.ª temporada, no último episódio, Greg (Jon Gries) pediu à recém conquista amorosa Tanya (Jennifer Coolidge), numa conversa noturna tida num bar exterior do luxuoso "The White Lotus", para que esta não ficasse surpreendida se ele, de súbito, morresse — é que, explicou, estava a lidar com "problemas de saúde". À moribunda confissão, a futura mulher responde: "Fiz todo o tipo de tratamento ao longo dos anos. E a morte é a última experiência imersiva que ainda não experimentei".

Ainda não subscreveste o nosso podcast? Estamos no Spotify, na Apple Podcasts e no Google Podcasts.

Ao subscreveres garantes que não voltas a perder os próximos episódios e novidades! ;)

E já que aqui estamos, fazemos também um pequeno pedido: deixa críticas e reviews nas plataformas. Nós agradecemos e todo o feedback é bem-vindo!

Ora, quem já viu o 7.º e último episódio da 2.ª temporada, que trocou o paraíso paisagístico havaniano pelo siciliano, percebe e sabe de três coisas: Mike White, o criador e realizador desta série, é um escriba tremendo; Greg não caiu subitamente morto; há ironia disfarçada em jeito de profecia naquele diálogo. Oportunamente intitulado "Arrivederci", revela, por fim, de quem era o corpo a flutuar no mar que empresta um bocadinho de paraíso azul-turquesa ao hotel da cidade de Taormina onde a ação se desenrolou. Era o de Tanya.

Ao longo do desfecho, fomos levados a ponderar várias opções. Quando Ethan sai disparado em direção à água para confrontar Cameron (Theo James) houve ali no ar, durante uns minutos, a remota hipótese de o primeiro, consumido pela cegueira do ciúme, estar na iminência de afogar o segundo. Depois, entre a luta grego-romana aquática que se seguiu, pensou-se que seria Cameron a afogar Ethan num momento de aparente legítima defesa. Mas não. Não seria nenhum dos dois a sucumbir à vida. Quis o destino (e Mike White) que Tanya, no final, tivesse a experiência imersiva que lhe faltava.

Ainda assim, ainda que a principal questão tenha sido abordada, muitas outras perguntas ficaram sem resposta. Afinal, Greg conhecia ou não Quentin? Foi tudo planeado? E Jack (Leo Woodall) ia ou não matar Portia (Haley Lu Richardson)? E qual era o papel dele no meio do plot "vamos matar a Tanya"? Na nota mais familiar da trama, Albie (Adam DiMarco) depois de se comportar o tempo todo como um acérrimo feminista, vai simplesmente acabar por ser igual ao pai e ao avô só porque foi vítima de um esquema?

No capítulo "traições", a dúvida ganha outra dimensão de irritação, ao ficarmos a saber que Harper (Aubrey Plaza) e Ethan (Will Sharpe) e Daphne (Meghann Fahy) e Cameron (Theo James) conseguiram sair de Itália com os seus casamentos intactos, apesar das dúvidas e interpretações que o episódio não responde — Harper fez algo mais com Cameron do que um beijo "de dois segundos"? Ethan chegou ou não a trair Harper com Daphne? Não sabemos.

Mike White, num vídeo publicado no YouTube da HBO pouco depois de o final ter ido para o ar, responde a algumas destas questões. Não a todas, claro, pois muito é propositadamente deixado à interpretação do espetador. No entanto, deixou uma pista: o futuro da história de "The White Lotus", que já se sabe ter sido renovada para uma 3.ª temporada, pode passar pela Ásia. "A primeira temporada foca-se no dinheiro, a segunda no sexo. Penso que a terceira vá ser, talvez, um olhar satírico e engraçado sobre a morte, religião e espiritualidade orientais", explicou.

A dada altura, Daphne sugeriu umas férias nas Maldivas. Ao que nós dizemos: porque não?

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.