O projeto está a ser desenvolvido pela Câmara de Viça Viçosa, com apoio de entidades públicas e privadas, devendo o circuito arrancar no final deste ano, explicou hoje à agência Lusa o vice-presidente do município, Tiago Passão Salgueiro.

“A ideia é criar um percurso literário por alguns dos lugares de memória que Florbela tem no nosso concelho, que permita às pessoas conhecerem um pouco mais sobre este vulto da literatura e que acaba também por ser bastante importante para Vila Viçosa do ponto de vista turístico”, referiu.

Segundo a autarquia alentejana, o protocolo de colaboração para a criação e dinamização deste circuito vai ser assinado, na terça-feira, em Vila Viçosa, entre o município e as entidades parceiras no projeto.

O circuito Florbeliano é uma das vertentes de uma candidatura apresentada pelo município ao programa Transformar Turismo, na linha Regenerar Territórios, já aprovada com um financiamento de cerca de 300 mil euros, salientou.

Esta candidatura, precisou, prevê igualmente a criação de um núcleo museológico dedicado à família Espanca numa casa adquirida pelo município na Rua Gomes Jardim, na vila alentejana, e de um espaço físico de memória digital.

Tiago Passão Salgueiro adiantou que o futuro núcleo museológico vai acolher “o espólio muito considerável de manuscritos e de objetos” da poetisa que foi doado ao Grupo Amigos de Vila Viçosa pelo seu último marido, Mário Lage.

“Se olharmos para a sua obra, ficamos a perceber que Vila Viçosa foi sempre fonte de inspiração, apesar de, a determinada altura, Florbela ter saído daqui, mas a sua presença e da sua família foi efetivamente marcante”, vincou.

De acordo com o vice-presidente do município, o futuro circuito vai integrar locais como o jazigo, o busto da Praça da República, o futuro núcleo museológico da Rua Gomes Jardim, um projeto cultural de um privado e um restaurante.

O memorial de homenagem à casa onde nasceu Florbela Espanca, a antiga farmácia Monte, atualmente também um espaço museológico, o espaço de memória digital e o futuro Jardim Florbela Espanca, a construir junto ao mercado, serão outros dos locais.

O autarca notou que, ao longo dos últimos anos, Vila Viçosa tem sido procurada por “um conjunto muito significativo de investigadores, sobretudo brasileiros, que têm debruçado a sua atenção sobre a obra literária de Florbela Espanca”.

“Queremos potenciar a vertente turística, mas reforçar também a nossa identidade através de Florbela Espanca e tentar perceber como é que ela olhou para Vila Viçosa, na primeira metade do século 20, e, depois, como é que Vila Viçosa também olhou ela”, frisou.

A autora do “Livro de Mágoas”, “Livro de Soror Saudade”, “Charneca em Flor” ou “Juvenília” é considerada uma das mais brilhantes poetisas de língua portuguesa de todos os tempos.

A poetisa nasceu em Vila Viçosa, em 8 de dezembro de 1894, e faleceu em Matosinhos (Porto), de 7 para 8 de dezembro de 1930, com 36 anos.

Florbela Espanca foi sepultada naquela localidade, mas os seus restos mortais foram depois trasladados para o cemitério de Vila Viçosa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.