É já a partir da meia noite que a circulação entre concelhos passa ser limitada até às 6h do dia 3 de novembro. Durante estes cinco dias será levada a cabo uma operação conjunta de fiscalização por parte da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Esta quinta-feira, a GNR e PSP realizaram uma conferência de imprensa durante a qual esclareceram as operações nacionais conjuntas de patrulhamento a efetuar durante este período.

Rui Veloso, diretor de operações da GNR, apelou, no fim da conferência, aos cidadãos: “A ordem é ficar em casa. Tentem ficar em casa, evitem movimentos desnecessários, pois só assim é possível conter esta pandemia”.

Durante a conferência, o responsável explicou que “as unidades levarão a cabo ações coordenadas de patrulhamento, fiscalização e sensibilização, por forma a garantir que a população cumpra as regras que se encontram em vigor e se abstenha de efetuar grandes deslocações desnecessárias”.

Sobre as movimentações, afirmou ainda que “ao longo destes cinco dias de operação, o efetivo será empenhado em função de um movimento de pessoas e veículos, tendo em particular atenção os principais eixos diários que ligam as grandes cidades do litoral, nomeadamente, para o Centro e o Norte, interior de Portugal”.

O diretor de operações esclareceu que iriam ter “especial atenção a lugares onde é passível uma maior aglomeração de pessoas, nomeadamente nos terminais rodoviários e ferroviários” e que procurarão primariamente atuar numa “vertente de sensibilização e pedagogia”, mas reiterando que não deixarão de “ser firmes perante comportamentos de risco que possam pôr em causa a segurança de todos e a saúde pública”.

A PSP irá empenhar “todas as valências, os comandos metropolitanos, distritais e regionais”, segundo Luís Elias, respetivo diretor de operações.

Em declarações à comunicação social explicou que, além das deslocações entre concelhos, a PSP vai realizar também o controlo de aglomerações em grandes centros urbanos, nomeadamente em período noturno, bem como o consumo de bebidas alcoólicas na via pública e a utilização da máscara na via pública. Além disso, serão controlados os horários de funcionamento dos estabelecimentos e as respetivas normas de funcionamento e de lotação e o cumprimento do confinamento obrigatório para os cidadãos infetados.

O diretor de operações da PSP apelou ainda ao bom senso dos cidadãos e à limitação das deslocações durante este período.

“Obviamente, teremos aqui dois períodos que será amanhã, sexta-feira, e na segunda-feira, onde existirão ainda muitas deslocações para efeitos laborais e também de estudo – deslocações para as universidades para as escolas, etc. e as forças de segurança terão essas deslocações em conta, portanto, desde que estejam contempladas”, acautelou.

“(...) Dado que neste momento, por diploma legal e lei da assembleia da república, é obrigatório o uso de máscara, vamos incrementar esta fiscalização da utilização da máscara. Aos cidadãos também aconselhamos a cumprirem as instruções e os conselhos das forças de segurança, sob pena de poderem incorrer quer em ilícito contraordenacional, com o pagamento de uma respetiva coima, quer eventualmente, e no limite, crime de desobediência ou mesmo em crime de falsas declarações prestadas perante os profissionais de forças de segurança”, reiterou ainda o diretor de operações da PSP.

Entre as proibições para os próximos dias destacou que “não é permitida a realização de celebrações e outros eventos que impliquem uma aglomeração em número superior a cinco pessoas”. Os transportes públicos também serão fiscalizados em termos do cumprimento da lotação prevista.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.