A tradição manda que a equipa que ganha o Super Bowl faça uma visita à Casa Branca depois da vitória. Mas esta poderá ser uma tradição revista este ano por alguns jogadores da equipa vencedora da final da liga de futebol americano, os New England Patriots. Devin McCourty e Martellus Bennett são, para já, os dois elementos da equipa campeã que anunciaram publicamente a decisão de declinar o convite do presidente americano.

"Não vou à Casa Branca", disse Devin McCourty à Time, " e a razão é basicamente porque não me sinto aceite na Casa Branca. O presidente tem tantas convicções e preconceitos que fazem com que algumas pessoas se sintam aceites e outras não".

"É o que é" disse, por seu lado, Martellus Bennet, em declarações ao Dallas Morning News, "as pessoas sabem o que penso".

Os sentimentos de Bennett e McCourty não são partilhados por toda a equipa, a começar pelo seu membro mais célebre,  o quarterback Tom Brady, um apoiante de Donald Trump, bem como o treinador Bill Belichick e Robert Kraft, o dono da equipa.

Alguns analistas veem nesta divisão na equipa campeã, a própria divisão da América. Como antes já tinham visto na vitória dos New England Patriots - que Donald Trump vaticinou - a vitória da América " branca" sobre a América das minorias. Bennett e McCourty são afro -americanos, mas podem não ser os únicos a protestar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.