Harambe, um gorila das planícies ocidentais de 17 anos, foi abatido no sábado por funcionários de um jardim zoológico de Cincinnati, nos Estados Unidos, depois de um menino de quatro anos ter ultrapassado uma barreira e caído num fosso, dentro do espaço do animal. Um vídeo mostra Harambe a agarrar a mão do menino enquanto os visitantes do zoo gritam.

Embora tenha reconhecido que a equipa de resposta contra riscos de animais tinha poucas opções para lidar com o incidente, a população criticou o jardim zoológico e os pais da criança.

"O cativeiro devia estar cercado por uma segunda barreira para prevenir isto", afirmou no Twitter a ONG de direitos dos animais, PETA. Tragédias como esta são "o motivo para a PETA apelar às famílias que fiquem longe de qualquer estabelecimento que exiba animais como espetáculos para os humanos", afirmou a organização.

Funcionários do zoo afirmaram estar desolados com a perda de Harambe, mas alegaram ter tido de fazer uma escolha rápida para resgatar o menino. "A vida de uma criança estava em perigo, e uma decisão rápida teve de ser tomada", justificou em comunicado o diretor do jardim zoológico, Thane Maynard.

Usar tranquilizantes para deter o gorila com cerca de 200 quilos não era uma opção, porque a droga leva vários minutos a fazer efeito, e o menino estava em perigo iminente, acrescentou Maynard.

A família do menino, cujo nome não foi divulgado, expressou a sua "profunda gratidão" ao zoo, de acordo com uma declaração enviada à imprensa americana. "Sabemos que esta foi uma decisão muito difícil para eles, e que estão de luto pela perda do seu gorila", afirmaram.

Apesar das declarações, defensores dos animais expressaram a sua indignação com o facto de a criança ter invadido o cativeiro do gorila. Na tarde desta segunda-feira, pelo menos 13 petições públicas tinham sido criadas na plataforma online "change.org", pedindo que se fizesse justiça em relação ao assassinato do animal.

A mãe do menino "não deu a supervisão adequada. Como resultado, o filho caiu na jaula de um gorila no zoo de Cincinnati, o que resultou na morte de uma criatura inocente", denunciou um dos peticionários. Outros críticos pediram a construção de um memorial para Harambe e que a população boicote o jardim zoológico.

Os gorilas das planícies ocidentais são uma espécie ameaçada, e o zoo de Cincinnati pretendia usar Harambe para reprodução. As populações de gorilas têm vindo a diminuir em todo o mundo, devido à destruição do seu habitat natural. Atualmente, restam menos de 175.000 espécimes nas florestas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.