Em comunicado enviado à agência Lusa, o conselho de administração da ULSBA, que gere o hospital, refere que “tomou conhecimento pela comunicação social” dos pedidos de demissão dos cargos e de reunião por parte dos 12 chefes de equipa de Medicina Interna do Serviço de Urgência (SU).

“Face ao sucedido, e após conversa com a Direção do Serviço de Medicina e com os coordenadores” do SU, o conselho de administração da ULSBA informa que vai reunir na quarta-feira, às 09:30, “com os médicos signatários ou representantes”.

Um total de 12 chefes de equipa de Medicina Interna do SU do hospital de Beja apresentou hoje demissão dos cargos, alegando não ter condições para tratar dos doentes com qualidade e segurança, sobretudo devido à falta de médicos e sobrecarga de trabalho.

No pedido de demissão, a que a agência Lusa teve acesso, os médicos demissionários consideraram que “as condições atuais não permitem assegurar cuidados aos doentes com a qualidade e segurança devidas” no SU do hospital de Beja.

Por isso, os especialistas apresentaram a demissão dos cargos “até que seja feita uma reavaliação da situação” do SU, “com resolução da carência de recursos humanos médicos e reapreciação das competências dos chefes de equipa”.

Os médicos referiram que a decisão de apresentarem a demissão foi tomada agora “em virtude de uma situação ‘arrastada’ de declínio das condições de trabalho e de organização” do SU, “para a qual foi solicitada a atenção do conselho de administração” da ULSBA, “por inúmeras vezes, sem qualquer resposta efetiva”.

Os 12 chefes de equipa também pediram escusa de responsabilidade civil, juntamente com mais quatro médicos especialistas do hospital de Beja.

Segundo os médicos demissionários, a pandemia de covid-19 “veio agravar as condições, já de si precárias, em que o trabalho é desenvolvido” nas urgências do hospital.

A “sobrecarga de trabalho trazida pela pandemia atingiu maioritariamente o serviço de Medicina Interna”, cujos elementos viram a sua carga laboral diária e semanal aumentar por vários motivos.

O documento com o pedido de demissão foi assinado pelos 12 chefes de equipa e enviado à presidente do conselho de administração da ULSBA, Conceição Margalha, ao diretor clínico de Cuidados Hospitalares, José Aníbal Soares, e ao diretor do Serviço de Medicina Interna, José Vaz.

Outros seis médicos do hospital de Beja subscreveram o documento em sinal de solidariedade para com os 12 chefes de equipa demissionários.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.