Fonte da Presidência disse à Lusa que Marcelo Rebelo de Sousa optou por não se deslocar a Sevilha atendendo à situação epidémica na Andaluzia.

Também o presidente da Assembleia da República, que chegou a apelar aos portugueses que se deslocassem de “forma massiva a Sevilha” e abriu uma polémica política, decidiu não ir, segundo disse à Lusa fonte do gabinete de Ferro Rodrigues.

Numa nota, o gabinete do presidente da Assembleia da República justificou que, com a decisão de Marcelo de não ir assistir ao jogo, Ferro, sendo o seu convidado, também não se deslocará a Espanha.

No entanto, disse esperar, “em qualquer caso, que o número de portugueses em Sevilha seja elevado”.

“Não gostou, em Budapeste, de ver 80% dos presentes contra a nossa seleção. E Sevilha é muito mais próxima. Portugal não é Lisboa. A sul do Tejo existem e vivem milhões de portugueses”, lê-se na nota.

A polémica começou na quarta-feira, em Budapeste, no final do jogo da seleção nacional de futebol que permitiu a qualificação para os oitavos de final do Euro2020.

O Presidente da Assembleia da República fez um apelo para “que os portugueses se desloquem de forma massiva para o sul de Espanha e que possam apoiar uma grande vitória de Portugal nos oitavos de final”, de acordo com declarações transmitidas pela RTP.

No dia seguinte, na quinta-feira, em Guimarães, Marcelo Rebelo de Sousa referiu-se à questão da sua eventual presença em Sevilha.

“Eu próprio já, que tinha dito ontem [quarta-feira] que gostava muito de ir, pensei para comigo mesmo que eu só vou se o morador em Lisboa comum puder ir. Se não puder ir, não vou”, disse.

Na sexta-feira, a Assembleia da República aprovou a autorização pedida pelo Presidente da República para se deslocar a Sevilha no domingo.

O projeto de resolução para assentimento do parlamento à deslocação do chefe de Estado a Sevilha foi aprovado com os votos favoráveis de todas as bancadas, mas teve a abstenção do deputado único da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo.

A frase de Ferro Rodrigues originou críticas de Rio Rio (PSD) e Rodrigues dos Santos (CDS).

Ainda na sexta-feira, fonte da Presidência disse à Lusa que Marcelo tem Certificado Digital Covid, mas que estava a analisar a situação pandémica em Sevilha para decidir sobre a sua deslocação no domingo para assistir ao jogo da seleção portuguesa de futebol.

A Andaluzia, que recebe no domingo o jogo entre as seleções de Portugal e Bélgica, apresenta um risco elevado de covid-19, com uma taxa de incidência de novas infeções de 166,50, de acordo com os últimos dados oficiais espanhóis.

Esta comunidade autónoma é a que regista uma incidência acumulada de novas infeções a 14 dias mais elevada em Espanha, indicam os dados do Ministério da Saúde de quinta-feira, tendo sido notificados, nas últimas duas semanas, cerca de 14 mil novos casos de covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.