As primeiras reuniões de Marcelo Rebelo de Sousa depois de eleito foram no dia 28 de janeiro, quatro dias após a eleição, uma audiência seguida de almoço com o Presidente cessante, Cavaco Silva, um encontro com o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues e um jantar com o primeiro-ministro, António Costa.

Quando foi eleito em 2006, o primeiro encontro oficial de Cavaco como Presidente eleito também foi com o seu antecessor, Jorge Sampaio, uma semana depois da eleição.

Em comum com a agenda de Aníbal Cavaco Silva antes de tomar posse no primeiro mandato, Marcelo Rebelo de Sousa teve várias reuniões institucionais e o lançamento de um livro com fotografias da campanha eleitoral.

O segundo encontro entre António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa ocorreu no dia 16 de fevereiro, no Palácio de Queluz, onde o Presidente eleito trabalhou até à posse. O ministro das Finanças, Mário Centeno, e o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, foram também recebidos pelo próximo Presidente da República.

A última reunião pública com o primeiro-ministro foi no passado dia 2, com o Orçamento do Estado para 2016 em cima da mesa.

Para além da agenda institucional, a agenda pública de Marcelo Rebelo de Sousa antes da posse incluiu, no dia 29 de fevereiro, uma visita a uma idosa na Santa Casa da Misericórdia do Barreiro, onde entrou com uma garrafa de bagaço e um pacote de chá de camomila para cumprir uma promessa feita na campanha eleitoral.

Quanto a outras declarações públicas, Marcelo fez-se ouvir mais neste período de transição do que o seu antecessor. Manifestou pesar pelas mortes de Jaime Camacho, primeiro presidente do Governo Regional da Madeira e do filósofo italiano Umberto Eco, e felicitou a realizadora Leonor Teles pelo prémio ganho no Festival de Cinema de Berlim.

Entre ser eleito e tomar posse, Cavaco Silva encontrou-se com os ministros da República para a Madeira e Açores, o então procurador-geral da República, o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas e o presidente do Tribunal de Contas.

Marcelo Rebelo de Sousa já anunciou que irá reconduzir os representantes da República das regiões autónomas.

O sucessor de Cavaco Silva anunciou ainda ter convidado para o Conselho de Estado figuras como o ex-primeiro-ministro António Guterres, o ensaísta Eduardo Lourenço, o antigo dirigente do CDS-PP António Lobo Xavier, o ex-presidente do PSD Luís Marques Mendes e a presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza.

Na sexta-feira, dia 4, Marcelo Rebelo de Sousa marcou presença na tese de doutoramento do vice-presidente do CDS-PP e eurodeputado Diogo Feio, na Universidade do Porto.

No dia 29 de fevereiro, Marcelo Rebelo de Sousa participou como orador na conferência de aniversário da TSF, reiterando ser "apaixonado pela comunicação social" e reconhecendo ser "praticamente nula" a probabilidade de voltar ao setor.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.