Pubs, restaurantes e também cabeleireiros, cinemas e parques temáticos abriram ontem as portas outras vezes, depois de vários meses fechados devido à pandemia de Covid-19. Uma abertura rodeada de alertas tanto da parte do governo inglês, como das autoridades de saúde do país no mesmo dia em que a população foi encorajada a colocar uma luz à janela para lembrar aqueles que morreram devido ao novo coronavírus.

A Escócia e o País de Gales mantém as restrições, mas na Irlanda do Norte os pubs também abriram nesta sexta-feira.

Regressar aos pubs não significa voltar à típica rotina de fim de tarde inglesa como acontecia antes do confinamento decretado há mais de três meses. As regras de reabertura implicam que haja uma pré-reserva de mesa, que cada pessoa deixe os seus contactos de forma a poderem ser partilhados, em caso de necessidade, com o serviço nacional de saúde inglês e que os clientes não possam permanecer mais de três horas.

Ainda assim, fotografias captadas em algumas zonas, nomeadamente em bairros de Londres, mostram ruas cheias de gente o que levantou dúvidas sobre o cumprimento das regras de distanciamento social. "Milhares de pessoas em Londres dirigiram-se ao conhecido bairro do Soho, reunindo-se em grandes grupos, a beber e a dançar com pouco distanciamento social e a quase total ausência de uso de máscaras", pode ler-se no site da Euronews que ilustra o artigo com uma fotografia do local.

Um fotógrafo da agência noticiosa AFP partilhou na sua conta de Twitter um vídeo do Soho ontem às 22h00 onde se podem ver as ruas cheias num ambiente semelhante ao que existia pré-pandemia.

Os meios de comunicação social ingleses reportam situações diferenciadas nesta reabertura. Há pubs que optaram por permanecer fechados mais algumas semanas e, entre os que abriram, houve locais que reportaram situações de normalidade, sem multidões e com facilidade no cumprimento das novas regras, e outros, nomeadamente nas zonas habitualmente mais frequentadas, cujos gerentes afirmaram ser difícil controlar todas as movimentações.

Em Londres, as ruas do Soho encheram-se de pessoas dentro e fora dos pubs

Mas, um pouco por toda a Inglaterra, as pessoas regressaram aos pubs convivendo com as novas rotinas decorrentes da pandemia de Covid-19

O responsável da Federação da Polícia britânica, John Apter, fez uma publicação no Twitter depois de ter estado em serviço na noite de sábado, em que escreveu que para ele era "claro como água que pessoas bêbedas não podem/não vão cumprir o distanciamento social".

Do ponto de vista económico, a reabertura dos pubs foi estimada em 230 milhões de euros só no primeiro fim de semana, um valor 70% acima da média de um fim de semana normal antes da pandemia.

Além dos negócios que puderam reabrir portas, ontem entrou também em vigor uma nova disposição que permite que pessoas de duas casas diferentes se possam juntar, tanto dentro como fora de portas, mas cumprindo as indicações de distanciamento social.

Os dois metros de distância mantém-se como a norma, mas pode ser encurtada para até um metro na condição de serem cumpridas medidas de mitigação, como sejam o uso de máscaras e não haver pessoas frente a frente uma com a outra.

Ontem morreram 67 pessoas no Reino Unido devido à pandemia de Covid-19, elevando o número de mortes no país a 44.198.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.