“Encaramos os resultados em Itália com preocupação”, disse Steinmeier, que se encontra de visita à Grécia.

“Penso que Renzi fez o que era necessário fazer mas os eleitores não o apoiaram”, afirmou o chefe da diplomacia alemã, referindo-se à vitória do “não” no referendo constitucional de domingo.

“Não se trata de uma crise do Estado italiano mas é uma crise governamental que precisa de ser resolvida”, disse Walter Steinmeier, acrescentando, no entanto, que “não é uma mensagem positiva para a Europa” em tempos que considerou difíceis.

Os italianos votaram em referendo no domingo uma reforma constitucional que visava reduzir o poder do Senado mas que se transformou num plebiscito ao primeiro-ministro.

A derrota de Renzi no referendo pode ter impactos económicos, como sugere a repetida subida das taxas de juro da dívida soberana das últimas semanas e a preocupação crescente com os créditos de cobrança duvidosa que ensombram a banca italiana.

O resultado pode também reforçar a posição de partidos populistas como a Liga do Norte e o M5E, que defendem um referendo sobre a permanência de Itália na Zona Euro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.