Uma das maneiras de várias instituições do ensino superior contornarem os exames marcados para as próximas semanas passa por realizar as avaliações no verão. Segundo o Público, que avança com a notícia, a maioria dos exames será feita online e as aulas passam a ser à distância.

O jornal dá o exemplo da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, que remarcou os exames do corrente semestre, previstos para as próximas semanas, para o final do ano letivo (24 de junho a 1 de julho). A mesma decisão terá sido tomada pela Faculdade de Medicina Veterinária.

Recorde-se que a Universidade de Lisboa (UL) encerrou toda a atividade presencial, mas decidiu garantir a realização dos exames presenciais marcados — adiando a avaliação presencial para as provas escritas e adotou a avaliação online nos casos de provas orais, discussão de projetos ou reuniões.

"Os exames escritos presenciais não são transformados em exame online. São adiados para a altura em que se puderem fazer, o que na nossa perspetiva não será antes de meados de abril", precisou à agência Lusa o reitor, António Cruz Serra.

Todo o ensino na UL passa a ser online e o início do segundo semestre vai ser antecipado para que seja possível ganhar tempo, por forma a assegurar as épocas de recurso, mas também para que os estudantes estejam ocupados, sem que as férias possam contribuir para a propagação da pandemia de covid-19.

Em Coimbra também vai existir uma época especial de exames que se vai estender até 10 de setembro e na Universidade do Minho foi criado um período alternativo de avaliação. Já na Universidade do Porto, a situação difere, embora também transite parte dos exames que deviam de ter lugar durante as próximas semanas para o final do ano letivo, tendo sido criada uma época especial de avaliações.

A primeira chamada das avaliações no Porto terminou no sábado, sendo que a segunda está marcada para as próximas semanas — a instituição quis manter o calendário uma vez que os alunos já tinham feito o investimento ao nível do estudo para este período. A maior parte será realizada online, mas há exceções, como acontece na Faculdade de Engenharia, em que a maioria dos alunos preferiu fazer os exames presencialmente.

O Público lembra que é possível manter alguns exames em regime presencial, de acordo com o próprio Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Ainda segundo o jornal, que recolheu informação junto de várias instituições, apenas 15 a 20% dos exames serão feitos nas salas de aulas, pelo que os restantes serão feitos online.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.