A informação foi revelada esta terça-feira pelo Jornal de Negócios, que salientou também a saída de Rita Marques, secretária de Estado do Turismo.

"A opção por afastar João Neves, que tinha estado no anterior elenco governativo do PS, deve-se a divergências de fundo com o atual Ministro da Economia, António Costa Silva", lê-se no jornal.

À Renascença, fontes do PS afirmaram que o pedido de afastamento dos dois secretários de Estado partiu diretamente do ministro Costa Silva.

A divergência terá começado em setembro quando os dois secretários de Estado criticaram publicamente a pretensão de descer o IRC defendida pelo ministro da Economia.

António Costa Silva defendeu que seria benéfica uma descida transversal do IRC (imposto que incide sobre o lucro das empresas), sendo que a redução de cada ponto percentual da taxa tem um impacto na receita de cerca de 100 milhões de euros.

Na sequência, os dois secretários de Estado manifestaram posições contrárias à do ministro. "Dizer que vamos agir em IRC para resolver um problema de curtíssimo prazo é um erro”, afirmou João Neves, na altura.

Enquanto Rita Marques lembrou que o primeiro-ministro tem “a primeira e a última” palavra no que diz respeito à redução do IRC transversal a todas as empresas.

A questão chegou mesmo a levar ao líder da oposição a manifestar o seu apoio ao ministro da Economia, dizendo que Costa Silva estava a ser "triturado pela máquina socialista" e que foi “desautorizado em público” pelo ministro das Finanças, por “dois secretários de Estado, incluindo o da própria Economia”, João Neves, e pelo líder parlamentar do PS, Eurico Brilhante Dias.

(notícia atualizada às 16h50)

*com Lusa

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.