“Os resultados expressos no dia 26 de setembro obrigam à construção de compromissos políticos de legislatura autárquica ou pontuais, para os quais o PS está disponível”, refere a concelhia de Beja do partido, num comunicado enviado à agência Lusa.

O PS congratula-se com os resultados da sua candidatura no concelho de Beja, onde “pela primeira vez” venceu “duas eleições consecutivas” para a câmara e a assembleia municipal e obteve “a vitória na maioria” (sete) das 12 juntas ou uniões de freguesia.

Apesar de ter conseguido a reeleição de Paulo Arsénio como presidente, com 39,14% dos votos, o PS perdeu a maioria absoluta na Câmara de Beja e vai passar dos atuais quatro para três eleitos.

A CDU, com uma lista liderada por Vítor Picado, atual vereador sem pelouro, obteve 32,84% dos votos e elegeu de novo três dos sete elementos do executivo camarário, mantendo-se como segunda força política.

A coligação PSD/CDS-PP/PPM/IL/A, com 18,53% dos votos, foi a terceira força política mais votada e conseguiu ​​​​​eleger o cabeça de lista Nuno Palma Ferro.

Tal permitiu ao PSD recuperar, à custa do PS, o único lugar que tinha no executivo da Câmara de Beja e havia perdido nas autárquicas em 2009.

Na Assembleia Municipal de Beja, o PS frisa que “aumentou o número de eleitos”, passando dos atuais 15 para 16, “o maior número de sempre” conquistado pelo partido neste órgão, “distanciando-se da principal força política da oposição”, a CDU, que perdeu dois e passou dos atuais 15 para 13.

No entanto, tal como no atual mandato, o PS vai continuar a não ter maioria na Assembleia Municipal de Beja, já que a oposição soma 17 eleitos, distribuídos pela CDU (13) e pela coligação PSD/CDS-PP/PPM/IL/A (quatro).

Para a Assembleia Municipal de Beja, o PS elegeu nove deputados, a CDU oito e a coligação PSD/CDS-PP/PPM/IL/A quatro, mas, devido às inerências de funções dos presidentes das juntas e uniões de freguesia, os socialistas ficam com 16 e os comunistas com 13.

A coligação PSD/CDS-PP/PPM/IL/A mantém os quatro diretamente eleitos para este órgão, já que não conquistou qualquer junta ou união de freguesias.

Em relação às juntas e uniões de freguesias do concelho de Beja, com os resultados de domingo, o PS, que lidera cinco, vai passar a liderar sete, já que perdeu uma, mas ganhou três.

A CDU, que lidera seis, vai passar a liderar cinco, porque, apesar de ter ganhado uma, perdeu duas para o PS.

Na passada segunda-feira, questionado pela Lusa sobre se está disponível para assumir o cargo de vereador com pelouros em troca de apoiar o PS, caso seja convidado para tal por Paulo Arsénio, o vereador eleito na câmara pela coligação PSD/CDS-PP/PPM/IL/A disse que “a questão não tem a ver com pelouros”, mas sim com assegurar a sua isenção “em todos os momentos”.

“Se a minha isenção for assegurada e se a minha capacidade de dizer não for assegurada, contem comigo”, caso contrário, “não contem comigo, é tão simples quanto isto”, vincou Nuno Palma Ferro.

Nas autárquicas de domingo, a candidatura do Chega à Câmara de Beja obteve 5,44% dos votos, ficando em quarto lugar e à frente do Bloco de Esquerda, que obteve 1,69%, sendo que ambas não conseguiram eleger qualquer vereador.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.