"Após o diagnóstico, foram implementadas as medidas de segurança e controlo preconizadas de forma a minimizar os efeitos dessa situação junto dos utentes internados e dos profissionais", refere o SESARAM em comunicado de imprensa.

O Serviço de Saúde da Madeira adianta que a escabiose "não é uma doença grave", sendo, no entanto, contagiosa e caracterizada comichão, prurido e erupções cutâneas.

"As situações de sarna, embora não desejáveis, podem ocorrer em qualquer espaço público", indicam as autoridades de saúde, realçando que o serviço regional está "plenamente preparado" para tomar as medidas de segurança necessárias para o controlo da doença.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.