O presidente deste município espanhol, Ignacio Gragera, apresentou hoje na Comissão Municipal de Assuntos Gerais a proposta para atribuir este reconhecimento de “filho adotivo de Badajoz” ao antigo presidente e fundador do Grupo Nabeiro – Delta Cafés, que morreu no domingo, em Lisboa, aos 91 anos.

“Vou propor ao plenário [da autarquia, que decorre na próxima segunda-feira] que se inicie o processo para declarar o comendador filho adotivo da cidade de Badajoz, a título póstumo”, afirmou o autarca, em declarações enviadas à agência Lusa pelo Ayuntamiento de Badajoz (ou seja, pelo município).

Segundo Ignacio Gragera, este título justifica-se devido à “trajetória, ao carinho e sobretudo à vocação e amor que o comendador sempre demonstrou pela cidade de Badajoz”, devendo até ter sido feito mais cedo.

“Penso que é um reconhecimento que já devia ter sido feito há muito tempo, pelos enormes méritos e pelo enorme trabalho que o comendador fez pela e para a cidade de Badajoz, a partir de Campo Maior”, disse.

E “pelos enormes esforços para unir e coser ambos os lados da fronteira, Espanha e Portugal, e especialmente a sua cidade natal, Campo Maior, com a cidade de Badajoz”, realçou, aludindo ainda, entre outras questões, à “iniciativa privada e particular” de Rui Nabeiro para a criação da Eurocidade Elvas-Badajoz-Campo Maior.

“Acho que é um reconhecimento que a cidade de Badajoz lhe deve”, reiterou Ignacio Gragera, frisando: “Podemos chegar tarde”, mas “acho que é o sentimento maioritário, quase unânime, da cidade de Badajoz” e “temos de ter [para] com o comendador e a sua família, com o seu legado e com a sua história o reconhecimento que merece”.

O empresário Rui Nabeiro “sempre teve a cidade de Badajoz dentro do seu coração e ajudou naquilo que conseguiu”, argumentou ainda o autarca deste município da Estremadura espanhola, na raia com a região portuguesa do Alentejo, que disse ter estado presente nas cerimónias fúnebres do comendador, em Campo Maior.

“Espero que esse reconhecimento seja unânime pelo plenário e que possamos entregar essa medalha da cidade e esse reconhecimento à sua família, nos próximos meses”, acrescentou.

Manuel Rui Azinhais Nabeiro nasceu em Campo Maior, vila do interior do país, no distrito de Portalegre, junto à raia com Espanha, em 28 de março de 1931, tendo morrido no passado domingo, vítima de doença, no Hospital da Luz, em Lisboa, onde estava internado devido a problemas respiratórios.

O corpo do empresário esteve em câmara ardente na Igreja Matriz de Campo Maior, desde segunda-feira, tendo a eucaristia decorrido na mesma igreja, na terça-feira, dia em que foi sepultado no cemitério da vila.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.