Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, escreveu durante a noite de ontem, 2 de fevereiro, “Presidente da Câmara de Portimão. A gorda fura filas. Malvada a hora que nasci magra” numa publicação na sua conta de Facebook, acompanhada de uma fotografias de Isilda Gomes e de declarações da autarca ao Observador.

Perante a polémica de se ter referido à autarca com tais palavras, a bastonária justificou o seu uso ao semanário Expresso, lembrando que o seu comentário “replica a defesa da própria autarca” para ter sido vacinada no primeiro grupo de vacinação, que não incluia presidentes de câmara.

Ao ser noticiado que Isilda Gomes tinha recebido as duas doses da vacina contra a covid-19 a 11 e 29 de janeiro — ou seja antes da fase de vacinação destinada a detentores de órgãos de soberania e autarcas, que se iniciou esta semana — a presidente da Câmara de Portimão deu como justificação ao Observador ter 69 anos e ser “obesa e hipertensa”.

A estes fatores de risco a autarca acrescentou como motivos para ser vacinada na primeira fase o facto de, por inerência ao seu cargo, ser também presidente da Proteção Civil de Portimão e estar a trabalhar como voluntária no hospital de campanha afeto ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), montado no recinto do Portimão Arena. O seu trabalho, todavia, não inclui contacto direto com doentes e sim a “promover visitas virtuais de familiares aos doentes COVID que estão internados”, conforme menciona a conta oficial de Facebook do município.

Perante estas justificações, Ana Rita Cavaco diz ter feito essa publicação no Facebook “para alertar mais para mais um caso de abuso nesta fase em que a vacina deveria obedecer rigorosamente ao Plano Nacional de Vacinação”, lembrando também que “muitos enfermeiros do Algarve ainda não começaram a ser vacinados”.

“Em vez de se preocupar com os mais frágeis e com quem está verdadeiramente em contacto diário com doentes covid, foi a correr colocar-se na fila e já tem a vacina no papinho”, disse ainda a bastonária do Expresso.

Esta não é a primeira vez que Ana Rita Cavaco faz uma denúncia pública de vacinação antes de tempo. A 31 de janeiro, a bastonária acusou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho, de fazer o mesmo e de ser vacinado, em conjunto com a mulher, Maria Margarida Flores, diretora da Segurança Social de Faro, apesar de não figurar num grupo de risco.

O secretário de Estado enviou um desmentido às redações. “Esta informação é totalmente falsa e a sua divulgação tem como propósito colocar em causa a honestidade do Secretário de Estado e da sua mulher, a quem não foi administrada qualquer dose da vacina”, informou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.