Bernie Sanders desistiu da corrida à Casa Branca na semana passada admitindo que não conseguiria derrotar o ex-vice-Presidente nas primárias do Partido Democrata.

Hoje, Sanders assumiu o apoio formal a Biden, apelando à união à volta da candidatura democrata para vencer o republicano Donald Trump, nas eleições presidenciais de novembro próximo.

"Peço a todos os americanos, a todos os democratas, a todos os independentes, a muitos republicanos para se unirem à volta desta candidatura, que eu apoio", disse Sanders, numa comunicação feita através de uma sessão de streaming ao final da tarde.

Esta atitude do senador contrasta, segundo a agência Reuters, com aquilo fez em 2016, quando Sanders esperou até à véspera da Convenção Nacional Democrática para apoiar a então candidata, Hillary Clinton.

"Nós precisamos de si na Casa Branca", disse ainda Sanders, citado pelo The New York Times. "E eu vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para que isso aconteça", completou. O jornal indica que Sanders está a dar um sinal claro aos seus apoiantes: votem Biden.

A resposta do futuro candidato democrata veio do outro lado do ecrã e à distância — algo que atesta bem a adaptação que surge a política devido à pandemia. "Eu vou precisar de si. Não só para ganhar a campanha, mas para governar", respondeu Biden.

Aparecendo numa tela dividida com Biden, numa mensagem de vídeo, Sanders falou das diferenças, mas deixou claro que tudo fará para evitar a reeleição do atual Presidente, o republicano Donald Trump.

"Temos de fazer de Trump um Presidente de mandato único" disse Sanders, mostrando-se disponível para fazer campanha ao lado de Biden na campanha das eleições presidenciais que decorrerão no início de novembro.

Bernie Sanders vai continuar a aparecer nos boletins de voto das eleições presidenciais democratas, com o intuito de poder influenciar o programa eleitoral de Joe Biden, mas desistiu formalmente da corrida presidencial e assume que apoiará o ex-vice-Presidente, apesar de manter algumas divergências ideológicas e programáticas.

Nas últimas eleições, em 2016, perdeu a nomeação democrata para Hillary Clinton, que acabou derrotada nas urnas pelo republicano Donald Trump.

* Com agências 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.