Em conferência de imprensa hoje realizada para apresentar os resultados dos primeiros nove meses do ano, Forero disse que eventuais impactos na imagem do Caixabank do que se passa na Catalunha "não afetam o BPI".

"Temos o nosso balanço autónomo, conta resultados autónoma, liquidez autónoma, conselho de administração autónomo. Estamos tranquilos com isso", garantiu Pablo Forero.

O gestor espanhol, que este ano substituiu Fernando Ulrich como presidente executivo do BPI, na sequência de o grupo Caixabank ter passado a controlar o banco português, disse ainda que a liquidez do BPI e do Caixabank não são geridas de forma articulada.

"Não temos linhas abertas para Caixabank nem o Caixabank para o BPI", garantiu.

Pablo Forero disse ainda que os supervisores ou reguladores não pediram ao BPI planos de contingência para eventuais impactos no banco daquilo que se passar na Catalunha.

O grupo catalão Caixabank, com 85% do BPI, informou recentemente a mudança da sua sede social de Barcelona para Valência, para evitar impactos nefastos de uma independência unilateral da região espanhola.

Quanto ao que se passa politicamente na Catalunha, Forero recusou-se comentar: "Não vou falar de política espanhola, nem da Catalunha, nem de Portugal ou Angola", afirmou.

A Catalunha atravessa uma crise política sem precedentes desde o referendo sobre a autodeterminação, uma consulta proibida pela justiça espanhola, mas que acabou por ter lugar no passado dia 01 de outubro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.