A Albânia vai ocupar o cargo pela primeira vez, ao passo que o Brasil, ao ser eleito pela 11.ª, iguala o Japão no número de vezes que ocupa este importante cargo que permite uma voz diplomática significativa em temas que vão dos conflitos na Síria ou no Mali até à ameaça nuclear de Estados como a Coreia do Norte ou o Irão, além de ataques de grupos extremistas como o Estado Islâmico ou a al-Qaida.

Segundo a agência Associated Press, o presidente da Assembleia-Geral das Nações Unidas, Volkan Bozkir, anunciou hoje os resultados da votação secreta, que escolheu os membros que vão começar os mandatos a 01 de janeiro do próximo ano, substituindo Estónia, Níger, São Vicente e Granadinas, Tunísia e Vietname.

Mesmo que um país não tenha oposição, tem à mesma de obter dois terços dos votos para ganhar um lugar à mesa do Conselho de Segurança, que é composto pelos cinco membros com o poder de veto (Estados Unidos da América, Rússia, China, Reino Unido e França) e por outros cinco eleitos no ano passado: Índia, Irlanda, Quénia, México e Noruega.

Na votação de hoje, o Gana recebeu 185 votos, o Gabão 183, o Brasil 181, os Emirados Árabes Unidos 179 e a Albânia 175 votos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.