O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, na sigla em inglês) estima que em 2021 foram registados 458 mil homicídios em todo o mundo. A taxa global foi de 5,8 por 100 mil habitantes e 81% das vítimas eram homens e rapazes.
O relatório tem 2021 como ano de referência, mas como nem todos os Estados forneceram os dados necessários, o ano de origem dos números dos homicídios é especificado para cada país.

O Brasil lidera o ‘ranking’ com 47.722 homicídios (2020), seguido pela Nigéria com 44.200 (2019) e Índia com 41.330 (2021).
Em quarto lugar está o México com 35.700 homicídios, que é seguido por África do Sul (24.865), Estados Unidos (22.941), Myanmar (15.299), Colômbia (14.159), Rússia (9.866) e Paquistão (9.207). Todos estes países forneceram dados relativos a 2021.

Em relação à América Latina e Caraíbas, 27% dos 458 mil homicídios registados em 2021 no mundo foram cometidos nesta região, que por mais um ano continuou a ser a mais violenta do planeta, apesar da tendência geral continuar a diminuir – entre 2017 e 2021 caiu quase 14% -, tendo como exceções o Equador, a Nicarágua e o Panamá.

“A América Latina e as Caraíbas não só têm consistentemente a maior taxa de homicídios de todas as sub-regiões, mas também obtiveram a maior proporção de homicídios relacionados com o crime organizado em todo o mundo em 2021”, afirmou o UNODC.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.