Nos últimos dez meses, o Ministério da Saúde brasileiro confirmou 1.257 casos da doença, um aumento de 100 em relação aos dados do dia 17 de abril, quando 1.157 infetados foram confirmados.

O Ministério da Saúde informou ainda que outras 1.499 notificações estão a ser investigadas e podem ser confirmadas ou descartadas nos próximos relatórios.

As mortes estão a aumentar desde que o vírus da febre-amarela passou a circular em outras regiões do país, principalmente no sudeste do Brasil.

Antes, a doença ocorria mais frequentemente em áreas da região amazónica.

As regiões mais afetadas são aquelas que não tinham recomendação para a vacina, como o sudeste. É também nesta região que se concentra o maior número de mortes (a única de fora é o Distrito Federal).

Os estados de São Paulo e Minas Gerais concentram 82% das mortes, segundo os dados do Ministério da Saúde.

O Governo brasileiro espera que as ações de vacinação ajudem a diminuir o número de casos e mortes.

Com a aproximação do inverno, o número de casos tende a cair a partir deste mês, já que o vírus da febre-amarela é mais frequente no verão.

O Ministério informou que, de janeiro a abril deste ano, encaminhou 25,1 milhões de doses da vacina para os estados. Só para os estados da Baía, Rio de Janeiro e São Paulo foram enviadas 18,4 milhões de doses.

O ideal é chegar a 95% de cobertura de vacinação, segundo o Ministério. Até agora, o Rio de Janeiro vacinou 55,46% e a Baía 55,03% dos seus habitantes.

O Ministério da Saúde não informou sobre a cobertura de vacinação no estado de São Paulo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.