“Não pedimos o licenciamento (para a participação em provas da UEFA) porque não sabemos ainda como as coisas se vão passar e os valores são muito elevados para avançarmos nesta fase”, disse hoje à agência Lusa o líder do Caldas.

O clube das Caldas da Rainha, que no dia 18 de abril recebe o Desportivo das Aves no jogo da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, depois do desaire fora por 1-0, acalenta ainda a expectativa se disputar a final no Jamor.

Se se sagrasse vencedor da Taça de Portugal, o Caldas poderia ser o único clube do terceiro escalão a seguir para as competições europeias. Mas, sem ter solicitado o licenciamento, ficará excluído de participar.

Ainda assim, Jorge Reis afirmou hoje ter informações no sentido de que “o pedido de licenciamento possa ainda ser feito em junho, antes da final”, remetendo para depois da partida com o Desportivo das Aves “equacionar com mais precisão a possibilidade” de o clube fazer uma “pré-inscrição”.

O presidente do Caldas confirmou ainda não ter participado num workshop sobre “Leis do Jogo” promovido hoje pelo Órgão de Gestão e Licenciamento da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) dirigido aos clubes que solicitaram licenciamento para participação em provas da UEFA.

Contactada pela Lusa, a FPF remeteu para maio a divulgação da lista dos clubes que se encontram licenciados para as competições europeias.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.