Numa carta aberta dirigida à Ministra da Saúde, Marta Temido, o município explica que o quadro de médicos no concelho está reduzido a uma médica, depois da aposentação do diretor do Centro de Saúde de Aljezur e da saída de uma médica que prestava serviço em Odeceixe.

“Exigimos que sejam encontradas soluções de imediato de modo a colmatar esta situação penalizadora do nosso concelho, das nossas populações, que tanto necessitam de médico de família, e que coloca a nossa imagem em causa enquanto destino turístico”, pode ler-se na nota.

De acordo com a autarquia, foram abertas 28 vagas para médicos nos centros de saúde da região do Algarve, tendo Aljezur ficado de fora do concurso, considerando a “situação incompreensível e não aceitável”.

“[…] Esta realidade e as necessidades da nossa população não são desconhecidas dos responsáveis pela saúde”, é acrescentado.

Reconhecendo o esforço que o Ministério da Saúde tem feito durante a pandemia da covid-19, o município recorda que “sempre esteve disponível para encontrar soluções”, como o apoio ao aluguer de casa para médicos, equipamentos para fisioterapia, a unidade móvel de saúde, o gabinete médico dentista e, mais recentemente, o acordo para o curso de medicina no Algarve.

A autarquia lembra ainda “várias missivas” enviadas ao Governo, nas quais “o Presidente da Câmara Municipal de Aljezur vinha a alertar e a manifestar a sua preocupação sobre a situação que se vive no concelho em termos de disponibilidade de médicos, tanto no centro de Saúde de Aljezur como nas Extensões de Saúde de Odeceixe e Rogil”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.