“O telhado está em muito más condições, com infiltrações. As madres de madeira estão podres e temos que entrar em obras com caráter de urgência”, justificou a presidente do município de Portalegre, Adelaide Teixeira, em declarações à agência Lusa.

As obras no edifício do Convento de São Agostinho, espaço que pertence ao município de Portalegre e que está cedido à GNR desde 1911, devem arrancar em janeiro e vão contar com um investimento superior a 58 mil euros.

“Nós queremos que as pessoas estejam em condições, com alguma dignidade e vamos fazer esta intervenção. Estas obras vão ser desenvolvidas por fases e não vão interferir no dia-a-dia dos militares da GNR que trabalham naquele edifício”, acrescentou.

Além das obras no edifício do Convento de São Agostinho, que vão decorrer durante um período de 180 dias, a Câmara de Portalegre vai também desenvolver uma intervenção na Igreja da Misericórdia, espaço que alberga a Escola de Artes do Norte Alentejano.

“Este edifício (Igreja da Misericórdia) vai ser intervencionado no telhado, também nalguns espaços do seu interior e a fachada também vai ser pintada, à semelhança do que vai acontecer no Convento de São Sebastião”, disse.

Esta obra na Igreja da Misericórdia, cujo anúncio de concurso publico já saiu em Diário da República, deverá arrancar também em janeiro (com um prazo de execução de 240 dias), e implica um investimento superior a 89 mil euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.