Citado numa nota da câmara, o presidente da autarquia, Pedro Magalhães Ribeiro, disse ter recebido da ministra “a garantia de que o Cartaxo vai ter um novo centro de saúde, financiado pelas verbas da chamada 'bazuca' europeia”, para servir os mais de 15 mil utentes ali inscritos.

Questionado pela Lusa sobre a localização do novo centro, o presidente da câmara adiantou que há duas possibilidades em equação e que se trata de “terrenos do município sem qualquer edificação”.

“A próxima diligência é agendar uma reunião com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo [ARSLVT] para apresentar essas duas alternativas dentro do espaço urbano da cidade do Cartaxo. [...]. São as que se afiguram mais viáveis, tendo em conta a localização na cidade”, disse o autarca socialista.

Pedro Magalhães Ribeiro admitiu não ter ainda noção do investimento em causa e acrescentou que será a ARSLVT a apresentar a estimativa orçamental para a tipologia de serviços da infraestrutura, que vai substituir o atual centro de saúde, com 28 anos.

Sobre o prazo para a conclusão da obra, o autarca afirmou que, “como vai ser financiada pela 'bazuca' europeia, deverá ser no espaço de ano e meio a dois anos”.

Segundo a nota informativa da câmara, Marta Temido afirmou no final da reunião que o novo centro de saúde "vai assegurar melhores condições, quer de trabalho para os profissionais de saúde, quer de atendimento aos utentes, possibilitando, ainda, um maior número de valências de serviços de saúde".

A ministra sublinhou que a nova infraestrutura “já está inscrita nas prioridades do Governo e a obra vai ser financiada no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência” e que “o Ministério já deu instruções à ARSLVT para iniciar os trabalhos técnicos, em parceria com os serviços da Câmara Municipal do Cartaxo, para determinar a futura localização e a implantação do novo edifício”.

Além deste investimento, Pedro Magalhães Ribeiro defendeu a urgência de “requalificar a Unidade de Saúde de Pontével [valência com 14 anos] e a extensão de Vale da Pedra, assim como o urgente reforço de profissionais de saúde para o concelho, em especial, ao nível de médicos de família”.

“A exemplo do que fizemos em Valada no ano de 2018, em que assumimos 36 mil euros de investimento municipal para garantir que a extensão de saúde se mantivesse aberta, também mantemos disponibilidade para, através do orçamento do município, garantir a intervenção em Pontével e em Vale da Pedra”, afirmou o autarca.

De acordo com a nota da autarquia, Pedro Magalhães Ribeiro reivindicou ainda “o reforço de meios de transporte e o reforço do número de médicos de família no concelho”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.