O ministro das Ferrovias paquistanês, Sheikh Rashid Ahmad, disse que o serviço de comboio expresso, ou Friendship Express, está suspenso a partir de hoje.

Esta é a mais recente medida implementada pelo Governo do Paquistão, após a redução dos seus laços diplomáticos com a Índia e a suspensão do comércio com o país vizinho, em resposta à decisão de Nova Deli de modificar o estatuto especial da Caxemira, uma região do reivindicada por ambos os países.

O anúncio da suspensão do serviço foi feito enquanto os passageiros aguardavam para embarcar num comboio na cidade de Lahore, no leste do país, para viajar para a Índia.

A Caxemira indiana vive sob fortes restrições desde o anúncio feito pelo Governo na segunda-feira, com o corte de todas as comunicações e a limitação de reuniões públicas, além de prisão domiciliar de líderes do território.

O Paquistão opõe-se à decisão do Executivo indiano de modificar o artigo 370 da Constituição da Índia – que garantia um estatuto especial para a Caxemira, região que a Índia e o Paquistão disputam há décadas – e aprovar uma lei no Parlamento indiano que converte a região em “território da união”, “controlado pelo Governo federal.

Para o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Índia, “os últimos acontecimentos relacionados ao artigo 370 são um assunto puramente interno da Índia”, já que a Constituição indiana “sempre foi, é e será um assunto soberano”.

Outras vozes, no entanto, veem neste movimento de Nova Deli uma tentativa de mudar a demografia da Caxemira indiana, até agora da maioria muçulmana, ao permitir que indianos de outras partes do país, de maioria hindu, adquiram terras na região, algo que lhes era interdito.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.