“Todos os funcionários do poço subterrâneo de Thembelani foram resgatados em segurança do nível 14 depois de uma inspeção ter confirmado que era seguro fazê-lo”, informou num comunicado a empresa sul-africana Sibanye-Stillwater, responsável pela mina.

Segundo a mesma fonte, pouco antes da meia-noite, mais de 1.500 trabalhadores já haviam sido retirados da mina, enquanto os demais foram sendo “gradualmente” levados para a superfície.

Esse acidente ocorreu por volta das 13:00 locais (11:00 horas em Lisboa) de terça-feira, quando a queda de algumas barras acabou por bloquear a saída do poço conhecido como Thembelani, localizado a cerca de 130 quilómetros de Joanesburgo.

Inicialmente, a Associação de Mineiros e União da Construção (AMCU) denunciou que até 4.000 pessoas estariam presas na mina.

“Esperamos que os trabalhadores sejam devolvidos à superfície o mais rápido possível e estamos preocupados que a Sibanye-Stillwater, mais uma vez, não nos tenha informado sobre o incidente a tempo”, censurou a AMCU.

Nos últimos anos, vários acidentes afetaram os trabalhadores de Sibanye-Stillwater. Sete mineiros perderam as vidas em outra de suas minas em maio de 2018, após um terramoto que causou um colapso.

Em fevereiro de 2019, cerca de mil mineiros ficaram presos na mina de ouro Beatrix, operada pela mesma empresa e localizada no estado Livre (a cerca de 240 quilómetros a sudoeste de Joanesburgo).

Trinta horas depois, após problemas elétricos que uma tempestade causou na exploração, esses mineiros foram resgatados vivos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.