Este novo sistema de georreferenciação, a que se dá o nome de AML (Advanced Mobile Location), “melhora a precisão da localização do chamador em cerca de 4000 vezes”, ao permitir a identificação das coordenadas exatas do local onde se encontra a pessoa que faz a chamada. A descrição do serviço é feita no site do Simplex, programa de modernização dos serviços do Estado.

A solução AML, financiada por fundos europeus, “estará disponível para todos os cidadãos que efetuem chamadas para o número 112 através de smartphones Android e Apple IOS”, sem custos para os utilizadores, esclarece o MAI em declarações ao SAPO24.

A tecnologia estará disponível para qualquer operadora de telecomunicações, não sendo necessário fazer qualquer instalação nos aparelhos.

COMO FUNCIONA O 112

Quem atende a chamada quando ligamos para o 112?

Agentes da PSP e da GNR.

A chamada não é atendida nem pelo INEM, nem pelos bombeiros.

Quando devemos ligar?

Quando temos uma emergência que necessite de uma ambulância, de bombeiros ou da polícia.

Podemos ligar a qualquer hora, em qualquer dia e de qualquer lugar.

Que informações nos são solicitadas quando ligamos?

- Descrição breve da situação de emergência;

- Contacto;

- Localização (morada ou referências do local, quando não sabemos a localização exata).

O que acontece a seguir?

A informação prestada por nós é registada no sistema e os operadores acionam os meios necessários para resolver a situação.

Consoante a situação, os operadores podem chamar os bombeiros, o INEM e/ou a polícia.

Por exemplo: no caso de um acidente de carro com feridos, é chamado o INEM (para tratar dos feridos) e a polícia (para tomar conta da ocorrência).

Quando falamos diretamente com o INEM?

Só falamos com o INEM quando existe uma emergência médica.

Nessas situações, os operadores (agentes da PSP ou GNR) passam a chamada para o INEM, que faz o atendimento médico.

Onde estão os operadores que atendem as nossas chamadas?

Os operadores que atendem as chamadas podem estar no Porto (Centro Operacional Norte) ou em Oeiras (Centro Operacional Sul).

O 112 é o número de telefone de emergência. É gratuito e está disponível em toda a União Europeia.

Este novo serviço permitirá igualmente que seja enviado para o Centro Operacional do 112 um SMS com a localização GPS do aparelho móvel, como “complemento à chamada de voz”, quando os telefonemas forem feitos a partir de smartphones.

Como prazo para a entrada em vigor do serviço, o MAI refere o final do terceiro trimestre deste ano. Segundo o calendário do Simplex, a implementação desta nova tecnologia estava agendada para o último trimestre de 2018.

A precisão da localização das chamadas efetuadas para o 112 é um fator diferenciador na rapidez e eficiência do socorro prestado pelo serviço de emergência. Recorde-se, por exemplo, que em agosto do ano passado, seis jovens ficaram feridos num incêndio perto de Estremoz, depois de terem tido dificuldade em comunicar ao 112 a sua localização exata.

O MAI prevê ainda lançar durante 2019 uma aplicação para os cidadãos surdos - App 112 Mobile - que possibilitará “o contacto, através de videoconferência, entre o cidadão surdo e o operador do 112, com o apoio de um intérprete de língua gestual portuguesa”, explica o MAI.

Também neste caso, será possível o envio de “pedidos de socorro para os Centros Operacionais através de SMS”, sendo ao mesmo tempo enviadas as coordenadas GPS dos utentes.

O ministério esclarece que será "necessário fazer a instalação da aplicação no equipamento".

O desenvolvimento da vertente tecnológica já foi concluído, bem como a experiência-piloto de teste do serviço, estando em análise nesta fase a contratação de intérpretes de língua gestual portuguesa.

Atualmente, as tecnologias de localização existentes no 112 permitem apenas a identificação da morada, para as chamadas feitas a partir de um telefone fixo, e, no caso das chamadas efetuadas a partir de telefones móveis, a localização da antena que está a suportar essa comunicação.

O sistema atual - a que se dá o nome de “Cell ID” - recorre à identificação das antenas (“cells”) a que o equipamento móvel em causa está ligado para determinar a área onde se encontra o chamador. Nas regiões em que há uma maior concentração de antenas, é possível triangular a informação e determinar com precisão o local de onde está a ser feita a chamada. No entanto, em zonas com menor número de antenas, a determinação do local depende apenas de uma antena, sendo mais vasta a área identificada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.