“Depois de uma aturada reflexão, decidir não avançar [com a candidatura]”, disse Isabel Allende à agência de informação Mediabanco. A deputada precisou que vai concentrar esforços na “manutenção da unidade no seio do partido socialista “de que o pai foi um dos fundadores na década de 1930.

O Partido Socialista chileno está em crise depois da vitória da direita nas eleições municipais do passado dia 23.

Foram as últimas eleições no Chile antes das presidenciais de 2017, às quais a presidente Michelle Bachelet, de centro-esquerda e cuja popularidade está em queda, não se poderá candidatar, por a lei chilena interditar mandatos consecutivos.

Isabel Allende exilou-se após o golpe de Estado do general Augusto Pinochet. Salvador Allende ter-se-á suicidado quando as tropas de Pinochet investiram sobre o Palácio de La Moneda.

Isabel Allende regressou ao Chile em 1990 tendo ingressado no Partido Socialista e na política. Eleita deputada em 1992 e reeleita sem interrupção até à sua eleição para o Senado em 2010, ocupou a presidência da Assembleia de 18 de março de 2003 a 11 de março de 2004.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.