“A situação atual na península coreana continua a ser complexa e sensível. Urgimos todas as partes a abster-se na escalada da tensão”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Lu Kang, durante uma conferência de imprensa em Pequim.

O porta-voz recordou que o Conselho de Segurança das Nações Unidas tomou posição “de forma explícita” contra o desenvolvimento de mísseis balísticos por parte de Pyongyang, referindo-se às sanções adotadas em 2016 sobre o regime de Kim Jong-un.

“A China vai continuar a acompanhar de perto a situação e a contribuir para manter a paz e a estabilidade na região”, acrescentou.

A República Popular da China, principal apoiante da Coreia do Norte, distanciou-se de Pyongyang nos últimos tempos por causa dos últimos testes armamentísticos mas opõe-se igualmente à presença do escudo antimíssil THAAD, instalado pelos Estados Unidos, na Coreia do Sul.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.