O diretor do serviço de pneumologia e coordenador da equipa multidisciplinar para a covid-19 na Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, Luís Ferreira, referiu que, na segunda-feira, pediu a demissão de coordenador e os restantes elementos foram solidários e também se demitiram de funções.

"Apresentei a demissão pessoal e os outros elementos acharam que deviam ser solidários com a minha posição", disse o responsável.

Luís Ferreira apresentou a demissão de presidente da comissão covid-19 porque "ocorreu uma situação de divergência" com um elemento da administração da ULS da Guarda, sem especificar.

"Ocorreu uma situação de divergência em que eu achei que foi clara uma desconsideração para comigo, na qualidade de presidente da comissão, e não podia ser conivente com essa situação e tomei a decisão que achei mais adequada, que foi pedir a demissão, que é um ato absolutamente legítimo", explicou à Lusa.

Com o pedido de demissão, passada a primeira fase em que "a existência da comissão foi fundamental", o pneumologista do hospital da Guarda considera que "cabe ao Conselho de Administração [da ULS] encontrar novas soluções".

"Acho que a comissão, durante estes três meses, teve um desempenho que foi reconhecido por todos, que foi mesmo um verdadeiro exemplo de integração de cuidados na ULS", rematou Luís Ferreira.

A comissão liderada pelo pneumologista Luís Ferreira integrava Adelaide Campos (diretora Serviço de Urgência), Luísa Lopes (diretora Unidade de Cuidados Intensivos), Catarina Quinaz (infeciologista), João Correia (diretor Serviço de Medicina Interna), Alcina Tavares (coordenadora Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e de Resistências aos Antimicrobianos), Ana Viseu (coordenadora Unidade de Saúde Pública), José Valbom (Unidade de Saúde Ocupacional) e os enfermeiros Júlio Salvador e Vítor Salomé.

A presidente do conselho de administração da ULS da Guarda, Isabel Coelho, explica numa nota enviada às redações que a demissão da comissão covid-19 "partiu inicialmente do senhor coordenador da comissão, tendo os restantes membros sido solidários com este pedido".

"Quanto ao ou aos motivos do pedido do senhor coordenador a ele próprio dizem respeito, pelo que qualquer explicação lhe deve ser solicitada", acrescenta.

Isabel Coelho refere ainda que o Conselho de Administração "nunca retirou a sua confiança a esta comissão ou a qualquer um dos seus membros em particular, antes pelo contrário, não se cansa de enaltecer e agradecer o seu trabalho exemplar ao longo destes difíceis meses".

A comissão covid-19 foi criada pela ULS da Guarda no início de março, altura em que o Hospital Sousa Martins (HSM) foi indicado como hospital de "segunda linha" no combate à pandemia.

O HSM foi indicado como hospital de referência atendendo às condições adequadas de instalações, equipamentos existentes no denominado Pavilhão Novo, à capacitação do seu Laboratório de Patologia Clínica e ao reconhecimento da competência técnica e profissionalismo dos seus recursos humanos, justificou na altura a ULS.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.