Segundo a agência EFE, os 22 membros da comissão consultiva independente de vacinas e produtos biológicos da FDA votaram a favor da vacina, apenas com uma abstenção.

Esta autorização para que a vacina desenvolvida pela Moderna comece a ser comercializada pode acontecer nos próximos dias.

Esta vacina está assim cada vez mais perto de se tornar a segunda a receber uma autorização urgente por parte da FDA, após a vacina da Pfizer/BioNTech ter começado a ser administrada esta semana em vários pontos dos Estados Unidos.

A Moderna indicou que, em ensaios clínicos, a sua vacina demonstrou eficácia de 94,1% na prevenção da doença e de 100% na prevenção de casos graves.

Em 15 de dezembro, a FDA tinha revelado que a vacina contra a covid-19 produzida pela Moderna não apresentava “nenhum problema específico de segurança”.

“A FDA determinou que o fabricante forneceu informações adequadas para garantir a qualidade e consistência da vacina para autorização do produto”, explicava a agência em comunicado.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.649.927 mortos resultantes de mais de 74,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (307.512) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 16,9 milhões).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.